|
A+ / A-

Presidente da Autoridade de Informação Financeira do Vaticano demite-se

18 nov, 2019 - 14:53 • Filipe d'Avillez

O sucessor de René Brüelhart apenas será nomeado depois de Francisco regressar da sua visita à Tailândia e ao Japão.

A+ / A-

O presidente da Autoridade de Informação Financeira do Vaticano demitiu-se esta segunda-feira.

René Brüelhart estava há cinco anos à frente da instituição, a que já pertencia desde 2012. O Vaticano disse em comunicado que o seu mandato chegou ao fim, mas Brüelhart disse à Reuters que o contrato não tinha termo, e que se tinha demitido.

A Autoridade de Informação Financeira (AIF) do Vaticano tem por objetivo detetar transações financeiras suspeitas entre as diferentes agências da Santa Sé, trabalhando para isso em coordenação com outras entidades, como o Secretariado da Economia e o Conselho da Economia. Os três organismos foram criados pelo Papa Francisco como parte do seu esforço para reformar a curia romana e promover a transparência financeira.

No passado dia 1 de outubro uma rusga policial aos gabinetes da Secretaria de Estado da Santa Sé e à própria AIF levaram à apreensão de vários documentos e à suspensão de uma mão cheia de funcionários. Na altura o diretor da AIF, Tomasso di Ruzza, também foi suspenso, mas acabou por ser readmitido no dia 23 de outubro.

Segundo a Santa Sé, o substituto de Brüelhart será nomeado apenas quando o Papa Francisco regressar da sua viagem à Tailândia e ao Japão, que decorre entre os dias 20 e 26 de novembro. O sucessor já foi encontrado, mas a sua ocupação atual e compromissos já assumidos levam ao adiamento da sua nomeação, informa a Santa Sé.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.