|
A+ / A-

Tem uma sugestão para resolver problemas na área do Emprego ou Segurança Social? Então envie um email à ministra

11 nov, 2019 - 20:11 • Ana Carrilho

O enderenço de correio eletrónico já está ativo e Ana Mendes Godinho não teme que encha rapidamente. “É um risco bom, é sinal que a participação é grande e é isso que se pretende”, disse a ministra em declarações à Renascença.

A+ / A-

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social anunciou esta segunda-feira a criação de uma caixa de correio eletrónico destinada a receber contributos de todos os cidadãos. Uma ideia inédita da parte de um governo e que pode resultar em medidas legislativas.

A propostas.mtsss@mtsss.gov.pt já está ativa e Ana Mendes Godinho não teme que encha rapidamente. “É um risco bom, é sinal que a participação é grande e é isso que se pretende”, disse a ministra em declarações à Renascença.

Mas atenção: a caixa de correio só recebe contributos; não é para atender casos concretos, “esses terão de ser tratados nos serviços próprios”.

A novidade surgiu, “quase de fugida”, na intervenção que a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social fez esta segunda-feira à tarde na apresentação dos Prémios Santa Casa Longevidade, criados pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Na altura, Ana Mendes Godinho referiu que “este é um país para todos, novos e velhos”. E precisa do contributo de todos.

À Renascença, a ministra revelou ainda que a ideia é envolver as pessoas através das propostas que têm para as várias áreas do Ministério, nomeadamente Demografia, Natalidade, Envelhecimento Ativo ou conciliação da vida pessoal e familiar.

Depois serão avaliadas pela equipa ministerial e algumas delas poderão dar origem a medidas a implementar pelo Governo. “Na prática, é organizar uma série de ideias que as pessoas vão dando de forma avulsa”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.