A+ / A-

Mãe que abandonou bebé "vivia em condições precárias na via pública"

08 nov, 2019 - 12:03

Mulher não tem antecedentes criminais e terá agido sozinha. Pai da criança "não está na cidade, nem na região".

A+ / A-

A mulher de 22 anos que abandonou um recém-nascido num ecoponto “vivia em condições precárias na via pública”, informa a Polícia Judiciária nesta sexta-feira, em conferência de imprensa. As autoridades não classificam, contudo, a mulher como uma sem-abrigo.

As informações foram prestadas por Paulo Rebelo, da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo da Polícia Judiciária, em conferência de imprensa. Paulo Rebelo esclareceu que o parto aconteceu na rua, perto do local onde foi encontrado o recém-nascido.

A Judiciária também não revelou a nacionalidade da detida por considerar que "não é relevante para o esclarecimento dos factos". Adiantou ainda que a mulher, sem antecedentes criminais, foi detida devido aos "fortes indícios de ser a autora de homicídio qualificado na forma tentada".

Paulo Rebelo esclareceu que a mulher não declarou estar grávida a ninguém e que, após o parto, "não deu entrada em nenhum hospital, nem em nenhum centro de saúde".

No momento da detenção, feita em Lisboa, na rua, a mulher estava "sozinha, consciente, não apresentava sinais de consumo de droga, nem alterações aparentes do seu estado emocional".

Questionado sobre o pai da criança, Paulo Rebelo revelou que "não está na cidade, nem na região". A Judiciária revelou ainda que a mulher terá agido sozinha, embora as investigações continuem em aberto.

A Judiciária manifestou ainda "profundda satisfação e regozijo pela criança estar bem". A mãe vai ser presente a primeiro interrogatório e decretadas as medidas de coação.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joaquim Santos Rodri
    08 nov, 2019 SINES 12:12
    A onde está a CARIDADE, pois com 22 anos e vier na rua algo falhou....o Sr Presidente tem que ir vela a ajudar.....
  • Carlos Monteiro Pereira
    08 nov, 2019 12:09
    Uma mulher que faz o que fez,não tem perdão,mas ninguém ver, uma mulher grávida a viver na rua,só mostra o estado do país.