|
A+ / A-

Mediterrâneo

GNR resgata dezenas de migrantes, incluindo 33 mulheres e crianças

16 out, 2019 - 11:12 • Filipe d'Avillez

Só em 2019 a GNR já ajudou a resgatar mais de 2.300 migrantes ao largo das ilhas gregas.

A+ / A-

Os militares da GNR destacados para a Grécia resgataram esta madrugada um total de 71 migrantes, incluindo 33 mulheres e crianças.

Em duas operações distintas, os militares salvaram grupos de 48 e de 24 migrantes em barcos de borracha ao largo das ilhas de Samos e de Chios.

O primeiro resgate deu-se durante uma patrulha, tendo o barco sido localizado a três milhas da costa de Samos. O barco estava à deriva, sem combustível, e transportavam 24 homens, 10 mulheres e 14 crianças.

Segundo nota enviada à Renascença pela GNR, “o resgate foi efetuado pelas 05h00, começando pelas crianças, de seguida as mulheres e, por último, os homens. Durante o transporte foram distribuídas águas e produtos alimentares dado que os migrantes apresentavam sinais de desidratação. Após o resgate os migrantes foram transportados, em segurança, para o Porto de Pythagorio e entregues às autoridades helénicas”.

Três horas mais tarde no decorrer de outra ação de vigilância, os GNR foram alertados para a possibilidade de haver outra embarcação por perto e foi assim que encontraram os restantes 24 migrantes, entre a quais duas crianças, uma de três anos e outra com apenas 25 dias. Estavam ainda no barco sete mulheres, incluindo uma grávida de nove meses e quinze homens, um dos quais paraplégico.

“Após o resgate foram os migrantes transportados, em segurança, para o Porto de Chios, onde as crianças, a mulher grávida e o individuo paraplégico, foram imediatamente assistidos por profissionais de saúde”, explica a GNR.

Com estas duas operações sobe para 2.372 migrantes salvos só desde o início de 2019.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.