|
A+ / A-

Catalunha

Justiça espanhola volta a emitir mandado europeu de detenção contra Puigdemont

14 out, 2019 - 13:37 • Redação com agências

Ex-líder do Governo catalão está exilado na Bélgica. Pedido de extradição surge após a condenação, esta segunda-feira, dos dirigentes políticos envolvidos no referendo para a independência da Catalunha, com penas que chegam aos 13 anos de cadeia.

A+ / A-

O Supremo Tribunal de Espanha reemitiu, esta segunda-feira, um mandado europeu de detenção contra o antigo presidente do Governo catalão, Carles Puigdemont, após a condenação, esta manhã, de nove líderes políticos independentistas catalães.

Puigdemont era líder da região autonómica durante o referendo de 1 de outubro de 2017, que foi considerado ilegal e suspenso pelo Tribunal Constitucional. Face à esmagadora vitória do sim pela independência, proclamou uma república catalã, mas, face à ameaça de detenção, fugiu para a Bélgica a 28 de outubro, onde continua exilado até hoje.

Esta não é a primeira vez que a sua extradição para Espanha é requerida. Em julho de 2018, as autoridades alemãs recusaram um pedido nesse sentido da Justiça espanhola.

O juiz Pablo Llarena pediu a emissão do mandado apenas quatro horas após o Supremo Tribunal ter tornado públicas as condenações, dando assim luz verde a um pedido do Ministério Público.

O mesmo magistrado criticara em 2018 a decisão do Tribunal de Schleswig-Holstein, falando de uma “indevida intromissão”. Para além disso, considerou que a acusação ao ex-líder catalão deveria ser de rebelião e não de peculato, um crime mais leve.

"100 anos de prisão"

Na reacção à condenação dos colegas do executivo então em funções, Puigdemont sublinhou que a soma de todas as condenações ultrapassa os 100 anos. Apelida a decisão de “atrocidade" e pede uma reação da sociedade catalã, pelo "futuro dos nossos filhos e filhas", em nome da democracia, da Europa e da Catalunha.

Uma sondagem divulgada em julho mostra uma sociedade completamente dividida: 48,3% dos catalães manifestaram-se contra a secessão da região e 44% a favor.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.