Opinião de Francisco Sarsfield Cabral
A+ / A-

​Os europeus, os portugueses e a UE

07 ago, 2019 • Opinião de Francisco Sarsfield Cabral


O Eurobarómetro revela que a maioria dos europeus confia na Europa comunitária e no seu futuro, apesar das atuais crises. E que os portugueses estão pessimistas quanto à situação económica do país.

O Eurobarómetro da primavera, divulgado na passada segunda-feira, contém dados curiosos, tanto sobre a maneira como os cidadãos europeus encaram a UE, como quanto à atitude dos portugueses face à situação económica e social do país.

É surpreendente que, estando a UE a atravessar uma série de crises (o Brexit, a imigração, a alta dos eurocéticos, a incompleta da reforma do euro, a violação por parte de vários Estados membros de princípios e valores essenciais à democracia liberal, etc.) mesmo assim tenha aumentado a percepção positiva da maioria dos cidadãos europeus sobre a UE, o estado da democracia e a economia. Desde 2014 que esta sondagem não obtinha resultados tão positivos.

O apoio à união monetária e ao euro não tem precedentes. A confiança na UE encontra-se ao nível mais elevado desde há cinco anos e continua a ser superior à confiança dos europeus nos governos e nos parlamentos nacionais.

Parece, assim, que o projeto de Salvini, Marine Le Pen, Viktor Orbán e muitos outros, apoiados por Steve Bannon (que liderou a campanha eleitoral de Trump e se manteve cerca de um ano na Casa Branca) não possui as virtualidades que os seus mentores previam – o objetivo era destruir a UE por dentro.

A acreditar no Eurobarómetro, os europeus prezam mais a Europa comunitária e a moeda única do que os eurocéticos nos querem fazer crer. Por outro lado, 55% dos europeus inquiridos declaram-se satisfeitos com o funcionamento da democracia – o nível mais alto desse 2004.

A maioria dos portugueses (57%) confia na UE e 60% afirmam ter uma imagem positiva da Europa comunitária. 84% dizem sentir-se cidadãos da UE. Pelo contrário, os portugueses (55% dos inquiridos) não confiam no governo do país e quase 60% desconfiam da Assembleia da República.

Na área da economia, a sondagem do Eurobarómetro está longe da imagem cor-de-rosa que o governo procura transmitir: 61% dos portugueses inquiridos classifica de “má” a situação económica nacional. As principais preocupações dos portugueses têm a ver com a saúde e a segurança social.

Note-se que o pessimismo português está longe da média europeia, que é positiva – apenas 34% dos europeus não se mostram optimistas quanto ao futuro da UE.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.