A+ / A-

Greve dos motoristas. Ministro admite que Lei da Greve deve ser revista

30 jul, 2019 - 07:05

Ministro Siza Veira lembra que a lei é antiga e faz sentido ponderar-se mudanças.
A+ / A-

Veja também:


A menos de duas semanas da greve dos camionistas de matérias perigosas, o ministro Adjunto e da Economia admite que a Lei da Greve deve ser revista.

Em entrevista à RTP3, o ministro lembra que a lei é antiga e faz sentido ponderar-se mudanças. “É uma questão que tem de ser equacionada do ponto de vista política. A lei é dos anos 70 e faz sentido pensar se a devemos manter ou não”, afirma.

Siza Vieira sublinha que o diálogo com os sindicatos é essencial, sendo preciso reforçar as condições de negociação coletiva.

“Tenho a convicção de que precisamos de melhorar a regulação das situações de trabalho, de melhorar a situação dos trabalhadores e da qualidade do emprego. Desse ponto de vista, a interlocução e a negociação com os sindicatos é absolutamente essencial”, explica.

O ministro Siza Vieira já antes tinha alertado para os "transtornos" que a greve dos motoristas, marcada para 12 de agosto, poderá causar, sobretudo num período de férias e de incêndios.

Já o ministro da Defesa anunciou que as Forças Armadas estão prontas e têm meios para participar numa operação de apoio ao abastecimento de combustível durante a greve dos motoristas de matérias perigosas.

A greve convocada pelo Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e pelo Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM), que começa a 12 de agosto, por tempo indeterminado, ameaça o abastecimento de combustíveis e de outras mercadorias.

O Governo terá que fixar os serviços mínimos para a greve, depois das propostas dos sindicatos e da ANTRAM terem divergido entre os 25% e os 70%, bem como sobre se incluem trabalho suplementar e operações de cargas e descargas.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Avelino Silva
    30 jul, 2019 V. N. de Gaia 17:13
    Crise que poderá vir da greve dos motoristas de transportes de produtos inflamáveis. Não tenho qualquer curso de matemática nem curso superior, mas pensando bem... Como já estamos habituados a aumentos dos combustiveis e comemos e calamos. Se os Governantes e os Srs donos dos transportes aumentasse ( UM CENTIMO ) por litro e se as vendas isto por muito baixo seja de (1.000.000) um milhão de litros diarios em media daria 10.000 euros diários, em trinta dias seria 300.000 para aumentar os vencimentos dos motoristas. Fica a dica para quem souber saber fazer melhor as contas, inclusive os Governantes, podem evitar uma catástrofe.