Tempo
|
A+ / A-

Irmandade dos Clérigos apoia instituições de saúde e a área da investigação

25 mai, 2018 - 06:53 • Ana Lisboa

Esta sexta-feira, sábado e domingo decorre mais uma iniciativa solidária em que as receitas de bilheteira da Torre dos Clérigos revertem para o Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga, em Santa Maria da Feira.

A+ / A-

A Irmandade dos Clérigos, no Porto, já doou mais de um milhão de euros desde que foram instituídos os fins de semana solidários, há três anos. As receitas destinam-se a ajudar os hospitais “porque nos parecia ser o modo mais transversal de distribuir este bem fazer por toda a população”, explica o presidente da irmandade, padre Américo Aguiar.

O responsável lembra que ao hospital “vão os novos, vão os velhos, vão os ricos, vão os pobres, vão os portugueses e vão os estrangeiros, ou seja, é o local onde, de modo mais transversal, nós podíamos redistribuir esta mais valia da operação turística dos Clérigos”.

As verbas angariadas com a venda de bilhetes para a Torre dos Clérigos destinam-se “directamente para as Ligas dos Voluntários dos Hospitais que fazem um trabalho magnífico no apoio às pessoas que se dirigem aos hospitais. Outras vezes, têm sido direcionadas para a compra de equipamento muito básico de serviços dos hospitais”.

Américo Aguiar explica que a irmandade apoia ainda o campo da investigação. "A última entrega foi ao IPATIMUP [Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto], do nosso querido amigo professor Sobrinho Simões, investigador do cancro".

"Patrocinámos a aquisição de dois equipamentos que proporcionaram um avanço significativo na possibilidade de uma das investigações”, completa.

Nos serviços hospitalares, no voluntariado, na investigação “é aí que nós encontramos o rosto de Cristo, é nos homens, nas mulheres, nos doentes, nos médicos, nos enfermeiros, nos auxiliares, nas suas famílias. É aí que nós encontramos mais verdadeiramente a presença daqueles que mais precisam da nossa partilha”.

O também presidente do Grupo Renascença Multimédia admite que, com esta iniciativa, fica “muito feliz, a Irmandade dos Clérigos fica felicíssima, a Diocese do Porto do mesmo modo” e faz questão de lembrar “D. António Francisco dos Santos, que tanto nos inspirou nisto, o senhor D. Manuel Clemente, enquanto bispo do Porto, e, agora, o senhor D. Manuel Linda, pelo apoio e incentivo para irmos cada vez mais longe neste apoio, nesta partilha”.

Os fins de semana solidários são para continuar, “já conquistaram um lugar de permanência”.

A Irmandade dos Clérigos considera que é uma prioridade prosseguir com este apoio, ser uma mão amiga para as instituições de saúde.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.