|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Nascente do Douro volta a ter água

27 nov, 2017 - 14:23

A nascente do rio estava seca há mais de dois meses, mas a água voltou a brotar da rocha, depois de um nevão nos Picos de Urbión.

A+ / A-

A água voltou à nascente do rio Douro.

Depois de dois meses sem água, a nascente do rio Douro, nos Picos de Urbión, em Espanha, voltou a ter água na sequência de um nevão, a 2160 metros de altitude.

“O rio Douro renasce”, escreveu no Twitter o espanhol Augustin Sandoval, publicando um conjunto de fotografias onde se vê água a percorrer a paisagem nas montanhas espanholas.

A nascente do rio com quase mil quilómetros de extensão e que cruza Portugal e Espanha foi notícia depois do mesmo utilizador ter publicado um vídeo em que mostrava a nascente completamente seca.

O Douro estava seco, na altura, desde dos 2.160 até aos 1.800 metros de altitude

O enorme período de seca que afecta a Península Ibérica era a principal razão da falta de água nascente do rio que desagua no Atlântico.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • alberto
    27 nov, 2017 cascais 15:26
    Águas superiores e inferiores...aconteceu no 2º dia da criação, segundo Moisés, coisas que esta emissora radiofónica, católica, deveria saber mas não sabe porque a ignorância é rainha nestes tempos de apostasia. As orações que se fizeram e foram muitas foram eficazes. O "nevão", à falta de chuva que a explique, é apresentado como a causa da fonte da água: os mitos da modernidade!