Tempo
|
A+ / A-

Prisão preventiva para duas das principais figuras do independentismo catalão

16 out, 2017 - 20:56 • Catalunha tem até às 9h00 para confirmar se declarou independência , Juncker: "Se permitirmos que a Catalunha se torne independente, outros irão fazer o mesmo" , Catalunha já perdeu mais de 500 empresas

Os líderes da Assembleia Nacional Catalã e do movimento Òmnium Cultural foram detidos durante as rusgas que antecederam a realização do referendo sobre a independência da Catalunha.

A+ / A-

Uma juíza decretou, esta segunda-feira, a prisão preventiva de duas das principais figuras do independentismo catalão.

Jordi Sánchez, da Assembleia Nacional Catalã (ANC), e Jordi Cuixart, do movimento Òmnium Cultural (Òmnium), tinham sido detidos e acusados de sedição por causa do seu papel na promoção do referendo sobre a independência da Catalunha e, especificamente, na convocação de manifestações independentistas nos dias 20 e 21 de Setembro.

Nessa altura, a polícia efectuou rusgas a vários escritórios onde estava a ser preparado material para o referendo e deteve um conjunto de figuras do movimento pela independência, incluindo Cuixart e Sánchez. Foi também detido o chefe da polícia regional, major JOsep Lluis Trapero, que, esta segunda-feira, saiu em liberdade, mas fica proibido de abandonar Espanha até ao começo do julgamento.

A ANC e a Òmnium não são partidos políticos, mas movimentos da sociedade civil que, alegadamente, promovem a cultura catalã, mas estão também muito ligadas ao movimento independentista. Os seus líderes têm acesso fácil aos aparelhos políticos regionais e uma grande capacidade de mobilização popular.

A situação na Catalunha mantém-se tensa, com o presidente do Governo regional, Carles Puigdemont, a recusar esclarecer se declarou a independência da região na passada terça-feira.

Puigdemont tem apelado ao diálogo, mas Madrid tem-se recusado a sentar-se à mesa com ele, acusando-o de ter violado a lei nacional ao avançar com um referendo que já tinha sido decretado ilegal pelo tribunal constitucional, em Madrid.

Como é que a Catalunha chegou até aqui?
Como é que a Catalunha chegou até aqui?
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Paulus
    17 out, 2017 Barca 19:30
    Apelo a que todos os cidadãos deste país pressionem as altas figuras governamentais para a questão de Olivença que desde à quase 200 anos que tivemos a promessa destes(Espanha) que iriam devolver esse território, que até agora não cumpriram a sua palavra. Pressionem e exigem também que se responsabilizem, condenem quem é culpado diretamente ou indiretamente deste grave flagelo dos fogos, bem como adotar medidas concretas de modo que situações destas não se repitam.
  • Paulus
    17 out, 2017 Barca 17:42
    INDEPENDÊNCIA!!! Já chega destes charlatães castelhanos que por séculos "vergaram" quase todos os povos ibéricos num projecto utópico denominado por Espanha....chega da opressão castelhana e da imposição cultural aos demais povos ibéricos na tentativa de os extinguir. Qual é a língua oficial de Espanha? A língua ficcional chamado de espanhol!? Não...é sem duvida nenhuma o castelhano!!! (o resto para eles é treta) Oxalá que os catalães (e futuramente os bascos e os galegos) tenham um final feliz, digno e sem mais violência.... Justiça acima de tudo...e dignidade por vezes: lei≠justiça e constituição≠dignidade Eis a minha opinião como mero cidadão e espectador deste mundo como todos vós boa noite...a todos
  • Luis Faria
    17 out, 2017 Mem Martins 07:31
    Como é que a Catalunha chegou aqui? Foi um combinação infeliz de excesso de orgulho nacionalista e falta de bom senso e realismo em relação ao mundo em que vivemos. Tudo isto ateado por meia dúzia de demagogos idealistas, um pouco à semelhança do Brexit, cujos responsáveis, chegada a hora de assumir responsabilidades e dar respostas a questões essenciais, desapareceram 😆
  • 17 out, 2017 02:15
    Estás a mais na minha terra! Filipes para nunca mais!
  • Rui Silva
    17 out, 2017 Cascais 01:24
    Ao Filipe : você não sabe mesmo NADA de História, porque a Catalunha tem língua e cultura própria e já foi independente no reino de Aragão em 1500. Daí para cá já tentou a independência 7 vezes, tendo os seus líderes sido sempre fuzilados. A última vez foi há 70 anos com Luis de Companys. Os Açores e Madeira falam português, foram povoados por portugueses (minhotos e algarvios), nunca foram independentes nem nunca tiveram rei e nunca houve nenhuma revolta ou tentativa de independência em 500 anos. É SÓ esta a diferença. Antes de dizer asneiras, por favor leia a História. E diga lá aos seus Amiguinhos de Castela que nos devolvam Olivença, já que tanto prezam a Lei ... !!!
  • Paulo
    17 out, 2017 Olhão 00:12
    Reponhamos a legalidade e declaremos Felipe VI legítimo rei de Portugal y España.
  • Paulus
    17 out, 2017 Barca 00:08
    INDEPENDÊNCIA!!! Já chega destes charlatães castelhanos que por séculos "vergaram" quase todos os povos ibéricos num projecto utópico denominado por Espanha....chega da opressão castelhana e da imposição cultural aos demais povos ibéricos na tentativa de os extinguir. Qual é a língua oficial de Espanha? A língua ficcional chamado de espanhol!? Não...é sem duvida nenhuma o castelhano!!! (o resto para eles é treta) Oxalá que os catalães (e futuramente os bascos e os galegos) tenham um final feliz, digno e sem mais violência.... Justiça acima de tudo...e dignidade por vezes: lei≠justiça e constituição≠dignidade Eis a minha opinião como mero cidadão e espectador deste mundo como todos vós boa noite...a todos
  • Vasco
    16 out, 2017 Olivença 23:44
    Por aqui muitos teimam em identificar as partes com direitas ou esquerdas e no entanto trata-se tão simplesmente de nacionalismos, os espanhóis parecem ainda não ter acordado do tempo do colonialismo e neste caso até o senhor Rajoy parece mais dedicado a uma forma Hitlerista ao tratar este assunto, por seu lado os catalães procuram livrar-se do jugo espanhol mesmo com todos os contratempos e chantagens por parte de Madrid e seus aliados.
  • emigrante
    16 out, 2017 Londres 23:39
    Constituição, foi referendada pelo povo Espanhol em 1976, tendo tido 97% uma votação a favor na Catalunha, ao contrário a constituição Portuguesa, nunca foi referendada pelo povo Português, tendo sido aprovada com a pressão da extrema esquerda com o apoio do conselho da revolução.
  • Filipe
    16 out, 2017 évora 23:20
    Falam para aqui e acolá ..." uma aqui e outra acolá ! " , mas se a Madeira e Açores tivesses lá estas duas pessoas a fazerem o mesmo ... mudavam o discurso . Para mais , quando em 86 a Espanha entra na CEE não se notou quererem evitar a entrada ... souberam mamar e agora impulsionados pelo Reino Unido que lhes dá cobertura nas costas , apareceu assim o : " usar e deitar fora " . Bem presos , deviam até serem expulsos do território , pedissem asilo político ao que resta do Estado Islâmico e de lá conseguissem implementar as reformas no Mundo anárquicas . Volta Primo de Rivera !