O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Porque vêm tantos sul-coreanos a Fátima? A resposta é também política

12 mai, 2017 - 09:19 • André Rodrigues , Catarina Santos

Há apenas 11% de católicos no país, mas a Coreia do Sul é o país asiático que mais peregrinos trouxe a Fátima nos últimos sete anos e a explicação poderá muito bem residir na importância da mensagem de Fátima na luta contra os regimes totalitários de inspiração soviética. A Renascença procurou perceber o fenómeno junto de três sul-coreanos.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.