O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

“Que o Senhor converta o coração dos terroristas”. Papa recorda Egipto e Manchester

28 mai, 2017 - 12:12

Mais de 40 pessoas morreram nos atentados contra cristãos coptas no Egipto, na sexta-feira, e na Arena de Manchester, no início da semana. Francisco voltou ainda a pedir uma informação “construtiva, ao serviço da verdade”.
A+ / A-
“Que o Senhor converta o coração dos terroristas”. Papa recorda Egipto e Manchester

O Papa Francisco recordou este domingo, no Vaticano, as vítimas dos atentados terroristas que na última semana atingiram o Egipto e a cidade de Manchester.

“Desejo exprimir novamente a minha proximidade ao querido irmão Papa Tawadros II e à comunidade copta ortodoxa no Egipto, que há dois dias sofreu mais um feroz acto de violência”, começou por dizer aos peregrinos reunidos na Praça de São Pedro para a recitação do Regina Coeli.

“As vítimas, entre as quais também crianças, são fiéis que se deslocavam a um santuário para rezar. Foram mortos após terem recusado a renegar a sua fé cristã. Que o Senhor acolha na sua paz estas corajosas testemunhas, estes mártires, e converta o coração dos terroristas”, pediu.

Emboscada mata 26 cristãos coptas no Egipto

O Papa lembrou depois “as vítimas do horrível atentado da passada segunda-feira em Manchester, onde tantas vidas jovens foram cruelmente destruídas”.

“Estou próximo dos familiares e de quantos choram o seu desaparecimento”, garantiu.

O atentado no Egipto, que Francisco já tinha evocado no sábado, durante a sua visita a Génova, causou mais de 20 mortos e dezenas de feridos na província de Minya.

Em Manchester, o ataque ocorreu no final de um concerto musical onde estavam muitos jovens e crianças e provocou a morte de 22 pessoas, além de 59 feridos e vários desaparecidos.

Manchester. O filme de um ataque "bárbaro" contra os mais vulneráveis

Novo apelo à “comunicação construtiva”

Após a recitação da oração do Regina Coeli, o Papa voltou a lembrar a importância de uma comunicação construtiva por parte dos meios de comunicação social, associando-se assim à celebração do 51.º Dia Mundial das Comunicações Sociais.

“Os meios de comunicação social oferecem a possibilidade de partilhar e difundir, a todo o instante, as notícias de modo capilar. Essas notícias podem ser belas ou feias, verdadeiras ou falsas. Rezemos para que a comunicação, em todas as suas formas, seja efectivamente construtiva, ao serviço da verdade, recusando os preconceitos e difunda esperança e confiança no nosso tempo”, pediu.

Francisco insiste, assim, no conteúdo da sua mensagem para o Dia Mundial das Comunicações Sociais, cujo título é “Comunicar esperança e confiança, no nosso tempo”.

Escreve o Papa que é necessário “romper o círculo vicioso da angústia e deter a espiral do medo”, não querendo isto dizer que se vai “ignorar o drama do sofrimento, nem de cair num optimismo ingénuo”, mas sim ultrapassar “aquele sentimento de mau-humor e resignação que muitas vezes se apodera de nós e nos lança na apatia, gerando medos ou a impressão de não ser possível pôr limites ao mal”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • .jorge.carneiro
    28 mai, 2017 Lagos 20:04
    Uma vez mais o nosso Papa vem com a cantilena do policor , não basta rezar e cantar a Marselhesa turras só à trolha.No Egipto foram mais de 20 numa emboscada a um autocarro de corajosos cristãos que desafiam a barbarie na defesa da sua fé, em Manchester mais do mesmo da tal religião de paz (desde que sejas sarraceno noproblem, pagas e rezas senão toma lá bala em nome do tal do bar. E o nosso lider Papa Francisco continua com a conversa da conversão etc, basta-lhe ler as homilias do Papa emérito ><
  • mara
    28 mai, 2017 Portugal 16:08
    Matar, ferir, sangue, destruir física e moralmente dá prazer, quem o faz consegue dormir tranquilamente? Duvido! quão mais belo é ver Pessoas como o nosso Querido Papa Francisco a apelar à Paz e ao Amor? Quão mais felizes se sentirão aquelas pessoas que salvam vidas nos hospitais ou ajudam o Outro nas suas aflições, vamos todos gritar bem alto aos senhores das armas, que a arma mais bela e mais sublime é a Paz, vamos pedir aos vendilhões de armamento que o destruam e espalhem Amor, porque há muitas formas dignas de arranjar dinheiro sem praticar crimes hediondos...Atendam o pedido do grande Papa Francisco!
  • António Costa
    28 mai, 2017 Cacém 15:05
    ....ultrapassar “aquele sentimento de mau-humor e resignação...." e que acaba a longo prazo, por levar à aceitação do Mal. E além de "Que o Senhor converta o coração dos terroristas", porque que não o Coração, de quem lhes paga e dá ordens? O Coração dos que se julgam "donos de Deus", mas que no fundo só são donos dos milhões de dólares que possuem, para espalhar o Mal na Terra.
  • Álvaro de Jesus
    28 mai, 2017 Porto 14:31
    Amado Irmão Papa Francisco: O Amado Irmão tem vindo dizer que há 'um grande analfabetismo espiritual na nossa sociedade', como também já identificou 15 doenças à sua Cúria Romana. Ouça! DEUS criou-nos simples, livres e a ignorar O Ser Que Somos, apesar de termos sido criados por Ele à Sua Imagem e Semelhança. Não peça, pois, a DEUS, para Ele converter este ou aquele, pois isso é da nossa responsabilidade. Quando Ele nos criou, criou-nos Perfeitos, não sendo por acaso que o Senhor JESUS disse: "Não procures fora de Ti o que em Ti se encontra!" Somos, portanto Perfeitos, mas ainda não o Sabemos, seja por temos os véus caídos, seja por não termos Ensino Espiritual bastante que nos faça sair desse não saber. Se desejar ajudar a Sociedade a sair desse analfabetismo, faça duas coisas: Levante da excomunhão a Obra de Allan Kardec, permitindo que os seus seguidores a possam estudar, estudando-a também. Quando os seus seguidores souberem por que razões têm de vir muitas vezes à Encarnação, aí, creia-me, esse analfabetismo desaparecerá. Quando entra o conhecimento sai a ignorância. Faça isto, por Favor. Ah! Promova ainda o fim de tudo o que fazeis exteriormente, indo para dentro, para o interior. Na Luz! Eu Sou o seu Irmão, Álvaro de Jesus, Papa de O CAMINHO - Novo Templo do Senhor, o Templo que o CRISTO nos deixou há dois mil anos.