O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Morreu o rabino que “conversou” com Jesus

10 out, 2016 - 17:12 • Filipe d'Avillez

O rabino Jacob Neusner foi amplamente citado pelo Papa Bento XVI no seu trabalho sobre a vida de Jesus Cristo.
A+ / A-

Morreu no passado sábado o rabino Jacob Neusner, um académico e autor que influenciou os estudos do judaísmo nos Estados Unidos e não só.

A influência de Neusner chegou ao Vaticano, onde o então Papa Bento XVI o citou longamente numa das suas obras de maior divulgação, a trilogia sobre a vida de Jesus Cristo.

O então Papa, que assinou os livros na qualidade de teólogo, referiu-se ao livro “A Rabbi Talks With Jesus” (Um Rabino Conversa com Jesus), para ilustrar a forma como as palavras de Cristo seriam recebidas por um judeu devoto.

Nesse livro, Neusner imagina-se sentado com os seguidores de Jesus durante o Sermão da Montanha, em que Cristo profere as bem-aventuranças. Em formato de discurso directo, Neusner enumera os vários pontos em que concorda com os ensinamentos de Jesus, mas diz-se incapaz de ultrapassar uma barreira final. Quando Cristo afirma que “o filho do Homem é Senhor do Sábado”, Neusner considera que está a ir longe de mais, uma vez que “só Deus é Senhor do Sábado”, pelo que se vê obrigado a não o seguir.

O livro é escrito num tom amistoso, não obstante a divergência final, e reflecte o empenho do rabino no diálogo inter-religioso tanto com cristãos como com muçulmanos.

O académico judeu encontrou-se pessoalmente com Bento XVI quando este visitou Washington, em 2008.

Neusner escreveu ou editou mais de 950 livros, segundo a agência americana “Jewish Telegraph Agency”, incluindo traduções de algumas das obras religiosas mais significativas do cânone judaico.

O rabino nasceu em 1932 e morreu aos 84 anos, “rodeado da sua família, como sempre quis”, disse o seu filho Noam Neusner.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • mara
    11 out, 2016 Portugal 19:20
    Este grande Senhor certamente seguia a linha de pensamento do Poeta Libanês Khalil Gibran: " Amo-te quando oras no teu Templo, ajoelhas na tua Igreja, te inclinas na tua Mesquita, porque Tu e eu somos filhos do mesmo Espirito-Deus
  • maria miranda
    10 out, 2016 Barcelos 20:49
    Então quer dizer que acredita que cristo é filho de DEUS ??? ou gostava de o ter seguido , mas tem dúvidas. De alguns pormenores.