O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

OE 2016: CDS assinala défice acima da meta

23 set, 2016 - 14:43

A deputada Cecília Meireles sublinha que o segundo semestre vai trazer "muitas pressões na despesa".
A+ / A-

A vice-presidente da bancada do CDS-PP Cecília Meireles considera que o défice de 2,8% registado no primeiro semestre está acima da meta do Governo e lembra que os últimos seis meses do ano serão "exigentes".

"O número divulgado pelo INE [Instituto Nacional de Estatística] e que corresponde a um défice de cerca de 2,8% no primeiro semestre significa que o défice está acima da meta com que o Governo comprometeu que é de 2,2 para o ano de 2016. No segundo semestre vamos ter que olhar com atenção para a maneira como as contas públicas se vão desenvolver para perceber se a meta vai ser cumprida ou não", afirmou Cecília Meireles, esta sexta-feira. em declarações jornalistas no parlamento, a propósito dos números agora divulgados pelo INE.

Segundo o INE, o défice das administrações públicas foi de 2,8% do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro semestre deste ano, uma diminuição face aos 4,6% registados no período homólogo.

Apesar da redução homóloga verificada, o valor do défice até junho, de 2,8% do PIB, está acima da meta do Governo para este ano, que é 2,2%, e está também ligeiramente acima da estimativa apresentada pela Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), cujo valor central era de 2,7% de défice na primeira metade do ano.

Sublinhando que as exigências que o segundo semestre vai trazer, com "muitas pressões na despesa", Cecília Meireles considerou que "por mais que o primeiro-ministro ande a pescar à linha dados cirurgicamente escolhidos para fabricar gráficos, há factos que são inegáveis".

"O Governo inscreveu uma meta de crescimento económico de 1,8% para 2016 e aquilo que temos neste primeiro semestre é 0,9%, metade daquilo com que o Governo se comprometeu", disse, recordando que no primeiro semestre de 2015 a economia cresceu 1,5%.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • O esoterismo
    24 set, 2016 lx 15:24
    dos CDSs no seu melhor! Lançam as cartas e põem-se a adivinhar!...São verdadeiros ases de paus! Que contribuição credivel dão estes esotéricos para o desenvolvimento do país?
  • Mas!
    24 set, 2016 lx 15:09
    Qual meta? A meta é no fim do ano e não a meio do ano! Mas mesmo assim, a meio do ano, parece que o numero de 2,8% está a ficar abaixo dos 3%, ou para o CDS os numeros fazem parte de outro numerário? Eles bem querem a politica do quanto pior melhor, mas felizmente já não há muita gente que os leve a serio e embarque nesta cantilena da terra queimada! Nota-se que nada de credível têm para propor e portanto resta-lhes o caminho da intrigalhada!
  • Luis
    23 set, 2016 Lisboa 14:58
    Andam todos descontrolados no CDS (Camaradas Do Santos) desde que o partido tomou a decisão de se geminar com o MPLA.
  • a
    23 set, 2016 s 14:54
    Quem ainda acredita num défice abaixo dos 3% de certeza que aquilo que tem feito na vida é andar a apanhar pokémons!
  • PUB