O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Bruno pode ser destituído de presidente da SAD do Sporting até quinta-feira, diz a Holdimo

13 jun, 2018 - 15:45

Fonte oficial do segundo maior acionista da SAD do Sporting explica ao "Jornal Económico" que o líder leonino é presidente da SAD em representação das ações detidas pelo clube.
A+ / A-

A Holdimo, maior acionista individual da SAD do Sporting, acredita que o presidente do clube, Bruno de Carvalho, poderá ser destituído da SAD até quinta-feira, revelou fonte da empresa, ao "Jornal Económico".

Esta quarta-feira, Bruno foi suspenso preventivamente e com efeito imediato, além de ter ficado impedido de entrar nas instalações do clube, pela comissão de fiscalização nomeada pelo presidente demissionário da mesa da Assembleia Geral (MAG) do Sporting, Jaime Marta Soares.

Em declarações ao "Jornal Económico", fonte oficial da Holdimo, empresa de Álvaro Sobrinho e segunda maior acionista da SAD do Sporting - à frente só está o clube -, explicou que Bruno é presidente do Conselho de Administração da SAD em representação das ações detidas pelo Sporting, clube. A comissão de gestão, que será nomeada pela MAG, após a suspensão de Bruno, poderá mudar o representante.

"Bruno de Carvalho pode ser destituído já hoje, ou amanhã, pela comissão de gestão", adiantou a mesma fonte. Para os restantes elementos da administração da SAD, "será previsível" que a comissão de gestão convoque assembleia geral para a sua destituição. "Neste momento é este o quadro", referiu a fonte da Holdimo.

A Holdimo garante que "é uma questão de autoridade", apesar da reação negativa de Bruno. "Os órgãos estão a exercer as competências que os estatutos lhe atribuem e portanto se houver algum impedimento terão de recorrer à autoridade pública para que se faça cumprir", salientou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.