O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Risco da praga da traça da Guatemala afetar Portugal "é reduzido"

16 abr, 2018 - 12:11 • Pedro Mesquita

O inseto voa "baixinho" e a praga que está a destruir grandes quantidades de batata na Galiza só poderá chegar através do transporte de batatas doentes.
A+ / A-

O risco da praga da traça da Guatemala, que está a destruir grandes quantidades de batata na Galiza chegar a Portigal é "reduzido", porque "a capacidade de voo do inseto é muito baixa".

A opinião é expressa à Renascença pelo chefe do Serviço de Saúde e Produção Vegetal da Junta da Galiza, Victor Novo.

A praga deste insecto está a destruir grandes quantidades de batata na Galiza, afetando quase em exclusivo zonas de produção particular, destinada a consumo próprio.

O responsável galego avança, ainda, que as autoridades portuguesas, tal como a de todos os Estados-membros da União Europeia, estão devidamente alertados para a existência do problema

Qual é o risco desta praga poder chegar a Portugal?

É reduzido. O risco só existe se estas batatas forem levadas de mãos em mãos a Portugal. O que quero dizer é que o risco não resulta do voo do inseto, porque a capacidade de voo do inseto é muito baixa. Só mesmo se houver pessoas a comprar batata nas zonas infestadas e as levarem para Portugal.

Quais são os danos provocados por esta praga, aí na Galiza?

Esta praga estraga completamente as batatas. Comercialmente, ficam destruídas. Os danos não podem ser quantificados porque 99% das explorações afectadas são de particulares, que produzem, essencialmente, batata para auto-consumo. São pequenas superfícies dedicadas a este cultivo e não conseguimos quantificar os prejuízos.

Ainda assim, as autoridades portuguesas foram alertadas para esta praga, para um maior controlo fronteiriço da passagem de batata vinda da Galiza?

Sim, mas as zonas produtoras que temos na Galiza e que possam ter algum tipo de comercialização com Portugal estão livres desta praga.

Mas as autoridades sanitárias portuguesas foram avisadas...

Foram alertadas, como foi alertada toda a Europa. Quando acontece uma praga como esta, o dever do Estado-membro afectado, neste caso a Espanha, é avisar a Comunidade Europeia e o resto dos Estados-membros. Todos sabem que em Espanha, em algumas zonas da Galiza, temos este problema com a batata.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.