Paulo Morais

Triste fim

20 mai, 2013

O encerramento dos Estaleiros de Viana do Castelo constitui um triste fim para uma história de péssima gestão pública, que ninguém consegue explicar.

Nos últimos anos, sucessivas administrações foram nomeadas para aquela empresa do estado. Não se sabe o que andaram por lá a fazer os gestores públicos, alguns nem sequer viviam em Viana e apenas se deslocavam aos Estaleiros para receber o salário e as ajudas de custo.

A empresa serviu de albergue para “boys” do PS, do PSD, mas principalmente do CDS, na sequência da passagem da tutela dos estaleiros para o ministério da defesa, quando Portas tutelou esta pasta.

Nem se percebeu bem a passagem, pois este ministério não fez encomendas, nem sequer garantiu aos estaleiros contrapartidas no âmbito do obscuro processo de compra dos submarinos.

Outra incógnita é o destino de centenas de milhões de euros que a empresa recebeu do Estado.

No final desta história, os trabalhadores, a cidade de Viana e a região irão sofrer, enquanto os políticos que cometeram este crime continuam completamente impunes.