A+ / A-

​Ex-SIC e ex-TSF. Morreu o jornalista Pedro Cruz

21 abr, 2024 - 11:28 • Lusa com Redação

Tinha 53 anos.

A+ / A-

O jornalista Pedro Cruz morreu este domingo, no hospital CUF Tejo, em Lisboa, aos 53 anos.

A informação é avançada pela SIC e pela TSF, locais por onde passou na sua carreira.

Na SIC desde 1998, coordenou a redação do Porto durante 14 anos. Foi subdiretor de Informação da SIC e, no início de 2021, passou a integrar a TSF, onde foi diretor-executivo.

As áreas de política e de internacional eram aquelas que acompanhava mais de perto, tendo estado presente em diversas situações de conflito e tensão internacional, nomeadamente Kosovo, Síria, Albânia, Haiti, Líbano ou Ucrânia.

Natural da Póvoa de Varzim, Cruz formou-se na Escola Superior de Jornalismo do Porto. Trabalhou em rádios locais e passou também pelo Diário de Notícias.

Deu também aulas no polo de Braga da Universidade Católica.

Governo lamenta morte do jornalista e lembra-o como um "profissional por vocação"

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Rangel, lamentou a morte do jornalista Pedro Cruz lembrando-o como um "profissional por vocação".

O governante falava no 31.º Congresso do CDS-PP, em Viseu, na qualidade de ministro, mas também de vice-presidente do PSD.

"Foi com enorme pesar que soubemos hoje da morte de Pedro Cruz, um grande jornalista, um homem de imensa afabilidade, um profissional por vocação e que é da geração do senhor primeiro-ministro e da minha", lamentou.

O social-democrata disse ter recebido a notícia com "enorme choque".

"Em nome do governo português, queria transmitir à família as nossas condolências e também a todos os jornalistas portugueses. Porque acho que ele representava bem a classe profissional", afirmou.

[notícia atualizada às 15h55]

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+