A+ / A-

Feira do Livro de Lisboa cresce com mais 10 expositores e atinge o limite

22 mar, 2024 - 00:54 • Lusa

A próxima edição da feira vai realizar-se de 29 de maio a 16 de junho.

A+ / A-

A Feira do Livro de Lisboa, que este ano terá "acessibilidade" como "palavra de ordem", vai ter mais 10 expositores do que no ano passado e "atinge o limite", apesar de os pedidos de novos participantes continuarem a aumentar.

O presidente da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL), entidade que organiza a Feira do Livro de Lisboa (FLL), revelou esta quinta-feira aos jornalistas, à margem da apresentação do programa da Feira do Livro de Buenos Aires, que este ano a FLL volta a crescer, depois de no ano passado ter mantido a mesma dimensão de 2022, devido à organização da Jornada Mundial da Juventude.

"Há um crescimento, há um acerto no crescimento, este temos mais 10 expositores e atingimos o limite. Hoje sofremos pelo próprio sucesso da feira", afirmou Pedro Sobral.

O responsável revelou que "há muito entusiasmo por parte dos participantes, há muitos novos participantes que querem entrar, quer nacionais, quer internacionais", o que tornou a gestão este ano "um bocadinho complicada".

"Decidimos na APEL que este parque de 350 pavilhões, que é este que finalizará com mais 10, é suficiente. É um encargo financeiro muito grande e não queremos deixar para as próximas direções um encargo complicado e, além disso, o espaço é complexo de gerir", considerou. .

Esta sua afirmação prende-se também com o facto de este ano a FLL ser "muito virada para acessibilidade", como disse aos jornalistas.

"Temos vindo a melhorar, começámos pela questão da sustentabilidade, que foi claramente ganha no ano passado. Este ano focámos muito na acessibilidade, porque recebemos muitos "inputs" de várias associações que nos foram sugerindo melhorias na acessibilidade, quer para quem é descapacitado motor ou para invisuais", especificou.

Para tal, a APEL trabalhou com a Access Lab (empresa que trabalha a questão da acessibilidade em Portugal, pelo direito das pessoas com deficiência à cultura), no sentido de tornar a feira "muito mais acessível".

"E de facto conseguimos. Este era o desafio mais difícil, porque se a sustentabilidade dependia de nós, aqui há um terreno muito acidentado, e o Parque Eduardo VII é um organismo vivo, todos os anos é diferente, a tipologia daqueles corredores muda todos os anos", disse Pedro Sobral.

"Conseguir ter formas de acesso, conseguir conteúdos para invisuais e conseguir melhorar muito a acessibilidade foi um desafio, mas conseguimos e, portanto, acessibilidade é a palavra de ordem deste ano da feira do livro", acrescentou.

A próxima edição da Feira do Livro de Lisboa vai realizar-se de 29 de maio a 16 de junho de 2024.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+