Tempo
|
A+ / A-

Festival em França distingue curta de luso-suíço com Prémio de Melhor Filme Europeu

10 fev, 2024 - 22:15 • Lusa

A curta-metragem "2720", do realizador luso-suíço Basil da Cunha, venceu o Prémio de Melhor Filme Europeu na 46.ª edição do Festival Internacional de Clermont-Ferrand, em França, anunciou a organização do certame, que hoje terminou.

A+ / A-

A curta-metragem "2720", do realizador luso-suíço Basil da Cunha, venceu o Prémio de Melhor Filme Europeu na 46.ª edição do Festival Internacional de Clermont-Ferrand, em França, anunciou a organização do certame, que hoje terminou.

A curta de Basil da Cunha, comissariada pelo Batalha Centro de Cinema, já tinha sido premiada no Festival de Oberhausen, na Alemanha, ficando agora automaticamente candidata aos Prémios do Cinema Europeu, atribuídos pela Academia Europeia de Cinema.

O filme "2720" cruza duas personagens, Camila, de 7 anos, que parte em busca do irmão desaparecido após uma rusga policial, e Jysone que, em liberdade após cumprir uma pena de prisão, percorre o bairro à procura de boleia para o emprego, refere a sinopse.

O Festival de Clermont-Ferrand, dedicado a curtas-metragens, premiou hoje nas três categorias oficiais os filmes "Une orange de Jaffa, Uma laranja de Jaffa", de Mohammed Almughanni (Grande Prémio Internacional), "J"ai vu le visage du diable, Vi a cara do diabo", de Julia Kowalski (Grande Prémio Nacional), e "AliEN0089", de Valeria Hofmann (Grande Prémio de Laboratório).

O filme de Mohammed Almughanni, natural de Gaza, atualmente o epicentro da guerra entre Israel e o movimento islamita palestiniano Hamas, é uma coprodução da Polónia, França e Palestina. .

Fundado em 1979, o Festival de Clermont-Ferrand é apresentado como "o mais importante evento internacional dedicado à curta-metragem".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+