Tempo
|
A+ / A-

Escritor José Rentes de Carvalho é a Personalidade do Norte 2023 para a CCDR-N

24 nov, 2023 - 06:27 • Lusa

Álvaro Siza Vieira, em 2021, e Graça Morais, em 2022, antecederam o escritor radicado na Holanda.

A+ / A-

O escritor José Rentes de Carvalho vai ser esta sexta-feira agraciado, em Santo Tirso, com o prémio Personalidade do Norte 2023, divulgou a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N).

"Depois da atribuição da distinção ao arquiteto Álvaro Siza Vieira, em 2021, e à pintora Graça Morais, em 2022, a Personalidade do Norte, em 2023, é atribuída ao escritor nortenho José Rentes de Carvalho", pode ler-se num comunicado da CCDR-N enviado às redações.

O prémio será entregue ao escritor pelo presidente da CCDR-N, António Cunha, durante o Fórum Competitividade Regional e Pós 2030: o Norte na União Europeia, que decorre hoje na Fábrica de Santo Thyrso, contando com a presença da Comissária Europeia da Coesão e Reformas, Elisa Ferreira.

O prémio consiste numa peça escultória da autoria de Cristina Massena, arquiteta da Escola do Porto, que foi produzida pelo Done Lab da Universidade do Minho e da BOSCH, em Guimarães, com recurso a tecnologia de manufatura aditiva avançada.

Citado pelo comunicado, José Rentes de Carvalho confessou-se "muito honrado, contente e feliz pela atribuição do prémio", embora reconheça que tenha "começado tarde demais a receber prémios", o que faz com a sua "capacidade de agradecer seja modesta".

Filho de pais transmontanos da aldeia de Estevais, em Mogadouro, e neto de um avô sapateiro e de um avô guarda fiscal em Vila Nova de Gaia, José Rentes de Carvalho nasceu em 15 de maio de 1930 em Vila Nova de Gaia.

Frequentou o Liceu Alexandre Herculano, no Porto, e prosseguiu os estudos em Viana do Castelo e Vila Real. Foi na Faculdade de Letras e na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa que traçou o seu percurso académico, estudando Línguas Românicas e Direito.

Obrigado a abandonar o país por motivos políticos durante a ditadura do Estado Novo, viveu primeiro no Brasil, onde trabalhou como jornalista nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo e posteriormente em Nova Iorque e Paris.

O escritor acabou por se radicar nos Países Baixos em 1956, concretamente em Amesterdão, trabalhando na embaixada brasileira e licenciando-se na Universidade de Amesterdão.

Entre 1964 e 1988 foi professor universitário de Literatura Portuguesa e desde então tem-se dedicado exclusivamente à escrita e à colaboração em jornais e revistas literárias.

A sua extensa obra, dedicada à ficção, ensaio, crónica e diário, tem sido publicada em Portugal e nos Países Baixos, sendo recebida com reconhecimento pela crítica e pelos leitores, tendo alguns títulos alcançado o estatuto de 'best-seller'.

Foi premiado, em 2011, com o Grande Prémio de Literatura Biográfica APE, pelo livro Tempo Contado, e, em 2013, com o Grande Prémio de Crónica APE, com o livro Mazagran.

Atualmente, os seus livros são publicados pela editora Quetzal.

José Rentes de Carvalho divide o seu tempo entre Amesterdão, nos Países Baixos, e Estevais, em Mogadouro – metade do ano em cada lugar.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José Venade
    26 nov, 2023 Vila Nova de de Cerveira 15:30
    No princípio deste século ouvi e li falar do escritor, Rentes de Carvalho. Fiquei muito curioso e comprei o primeiro livro. Depois " Dos lindos Braços da Júlia da Farmácia", comprei tudo o que dele tem saído. O seu estilo de escrita é muito pessoal, e tem a coragem de escrever o que pensa. "Ernestina", é um livro que demonstra o seu carácter, e a coragem de virar a faca para si. Mas tem outros livros que, narram as suas vivências, entre Gondarém, Lanhelas, ou Viana do Castelo. É um Mestre com um estilo acutilante e rápido. Rentes de Carvalho, tem 93 anos e ,como não é dado a fazer fretes, o poder político, não o vê como devia e podia ver. Homenagens póstumas, não têm nenhum significado. E se há quem as mereça, J.Rentes de Carvalho, é um deles.
  • Maria João Amaral
    25 nov, 2023 Lamego 19:19
    Mercidíssima homenagem. Um escritor atento e clarividente. É um prazer lê-lo. Muito obrigada pelos Seus textos.

Destaques V+