A+ / A-

Dois recordes mundiais batidos na passagem do Noroeste do Ártico

18 out, 2023 - 10:37 • Redação

A viagem de três mil km foi feita de caiaque.

A+ / A-

O escocês Mark Agnew e mais três aventureiros americanos embarcaram numa viagem de três meses em caiaque e enfrentaram condições rigorosas. A partida foi dada em julho a partir da baía de Baffin, na Gronelândia. A equipa foi a primeira a conseguir fazer a travessia.

Quando começaram a expedição de três mil km ainda havia muito gelo nas águas, por isso tiveram de navegar no meio de icebergs. Mark conta à BBC que chegou a temer pela sua vida e pela da equipa quando ficaram presos no meio de dois icebergs. “Pensei que íamos ser esmagados até à morte”, relembra.

As sequelas mantêm-se, mesmo depois do regresso a casa. "Não sinto os pés desde julho. Disseram-me que não voltarei a senti-los por mais ou menos um mês", explicou à BBC.

Além do frio do ártico, a equipa também enfrentou ondas de cerca de 4,57 metros de altura.

As refeições em pó misturadas com água ficavam, muitas vezes, congeladas. O escocês conta à BBC que isso obrigou a uma viagem de ida e volta de quatro horas para encontrarem uma lagoa que não estivesse totalmente congelada.

O objetivo de Mark com esta viagem era angariar dinheiro para a Wilderness Foundation UK, uma associação que pretende promover o contacto com a natureza de forma a melhorar a saúde mental de jovens e adultos desfavorecidos e mais vulneráveis. Até agora, já conseguiu 8 mil libras (cerca de 7.600€), mas espera chegar às 25 mil libras (cerca de 23.600€).

O escocês já tinha tentado esta travessia por duas vezes, mas sem sucesso.

Já em 1854, Sir John Franklin, um oficial da marinha inglesa, tentou atravessar a passagem do Noroeste do Ártico. No entanto, os dois navios que foram em expedição ficaram presos no gelo e ninguém sobreviveu. Atualmente, devido às alterações climáticas, a viagem é mais viável, ainda que exigente.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+