Tempo
|
A+ / A-

Ator Luís Aleluia homenageado com espetáculos em Loulé e Lisboa em setembro

24 ago, 2023 - 19:13 • Lusa

A receita dos dois concertos reverte a favor da Casa do Artista, uma vontade de Luís Aleluia, que fazia parte da direção do projeto.

A+ / A-

O ator Luís Aleluia, que morreu em junho aos 63 anos, vai ser homenageado com um concerto em setembro, em Loulé e em Lisboa, que reúne a equipa do espetáculo "Noite de Reis", um dos últimos no qual participou.

"Dias 10 e 23 de setembro, a equipa do espetáculo "Noite de Reis" junta-se para um concerto em memória de Luís Aleluia - "Ao Luís Aleluia - Concerto de Homenagem". O primeiro espetáculo tem lugar em Loulé, no Cineteatro Louletano, às 11h30 de 10 de setembro, e o segundo sobe ao palco do Teatro Armando Cortez, às 18h00 de dia 23", lê-se num comunicado hoje divulgado pela Casa do Artista, cuja direção o ator integrava.

A equipa de "Noite de Reis", uma criação do Teatro do Eléctrico com encenação de Ricardo Neves-Neves, cumpre desta forma "uma promessa feita a Luís Aleluia, de organizar um concerto de angariação de fundos para a Casa do Artista".

A receita dos dois espetáculos, que incluem, entre outros, "momentos de música clássica, peças a solo para piano e acordeão, música da autoria do ator João Tempera e um ensaio sobre a importância do humor pelo ator Filipe Vargas", irá reverter na íntegra para a Casa do Artista.

Luís Aleluia fazia parte da direção da Casa do Artista, projeto ao qual se dedicava desde a sua fundação.

Luís Filipe Aleluia da Costa nasceu em Setúbal a 23 de fevereiro de 1960, numa família separada e pobre, o que o levou à Casa do Gaiato, na terra natal, onde viveu durante sete anos, e onde aprendeu os "valores que ficam para a vida", como disse em entrevista a Manuel Luís Goucha, na TVI, em 2021, quando completava 40 anos de carreira: lealdade, fraternidade, cumplicidade, "o valor do trabalho, o respeito pela liberdade do outro".

O gosto pelo palco teve origem na infância, nos anos de 1960-1970, com as galas da Casa do Gaiato e atuações em diferentes grupos amadores, seguindo-se a profissionalização, na viragem para a década de 1980, no Teatro de Animação de Setúbal (TAS). .

A base do Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa tem na revista "Há, mas são verdes!" o registo mais antigo da sua presença em palco. Foi em 1982, no Teatro Variedades, em Lisboa. .

Com mais de uma década de palco, o maior sucesso da carreira de Luís Aleluia vem da televisão, em 1996, quando recuperou "As Lições do Tonecas", com o ator José Morais e Castro, na RTP, e transformou o antigo programa de rádio das décadas de 1930-1940, de José de Oliveira Cosme, numa produção de quatro temporadas e 50 episódios.

"As Lições do Tonecas" multiplicaram-se ainda por espetáculos levados às comunidades portuguesas, em todo o mundo, e deram origem a especiais como "O Natal do Tonecas", "As Férias de Tonecas" e "Tonecas Regressa às Aulas".

Em televisão integrou também os elencos de séries como "Os Homens de Segurança", "Sétimo Direito", "O Cacilheiro do Amor" e "Festa é Festa", atualmente em exibição na TVI, produções como "Alves dos Reis" e "O Processo dos Távoras", e telenovelas como "Passerelle", "Na Paz dos Anjos" e "Filha do Mar".

Além disso, fez "sketches" de comédia em programas como "Os Malucos do Riso", "Praça da Alegria" e "Portugal no Coração".

Os bilhetes para os espetáculos de homenagem a Luís Aleluia já estão à venda: para o espetáculo do Cineteatro Louletano podem ser comprados na plataforma online BOL e têm um custo de 7,5 euros, enquanto para o espetáculo em Lisboa podem ser adquiridos na Ticketline e têm um custo de 15 euros. Além disso, na Ticketline é ainda possível fazer donativos, que não dão acesso ao espetáculo, de cinco, 10 ou 15 euros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+