Tempo
|
A+ / A-

​Cruz de Malta condecora figuras que se destacaram no combate à pandemia

23 jun, 2022 - 15:52 • Cristina Nascimento

Fernando Maltez, diretor de infeciologia do Hospital Curry Cabral, o empresário Álvaro Covões, e José Eduardo Nunes, administrador do Grupo Galp, são os homenageados.

A+ / A-

A Associação Humanitária da Cruz de Malta vai condecorar três portugueses que, segundo a associação, destacaram-se no combate à pandemia em Portugal. Os homenageados são Fernando Maltez, diretor de infeciologia do Hospital Curry Cabral, o empresário Álvaro Covões, e José Eduardo Nunes, administrador do Grupo Galp.

“Logo no início da pandemia, ainda não se tinham registado casos em Portugal, estas três personalidades conjugaram esforços para preparar a instalação no Campo Pequeno de um hospital de retaguarda de apoio ao Curry Cabral.”, lê-se na nota de imprensa enviada à Renascença.

A nota explica ainda que “por iniciativa da Associação Humanitária da Cruz de Malta, e sob orientação técnica de Fernando Maltez, procedeu-se à aquisição de tendas e material para o hospital”.

Já José Eduardo Nunes “conseguiu para o projeto o apoio financeiro de várias empresas do setor privado e envolveu ainda Álvaro Covões, que pôs à disposição o Campo Pequeno e mediou o apoio da RTP”.

A ativação do hospital de retaguarda acabou por não ser necessária “graças ao grande esforço nacional que se seguiu”, “mas o facto de a possibilidade existir, foi uma garantia de tranquilidade para os serviços de saúde em Portugal”.

A entrega das condecorações será feita num jantar a realizar em Lisboa, no dia 24 de junho.

A Associação Humanitária da Cruz de Malta nasceu em 1918 para socorrer a população mais carenciada de Lisboa.

Em 1922, viu aprovada, por decreto governamental, a criação de uma condecoração, a Medalha da Cruz de Malta, que é aos dias de hoje a única condecoração oficial atribuída por uma organização autónoma da tutela estatal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+