A+ / A-

Centenário de Saramago assinalado com moeda comemorativa

23 fev, 2022 - 18:17 • Lusa

Moeda dedicada ao Nobel da Literatura foi desenhada pelo artista plástico Carlos Nogueira.

A+ / A-

Uma moeda comemorativa do centenário de José Saramago, desenhada pelo artista plástico Carlos Nogueira e elaborada pela Casa da Moeda, com valor facial de 7,5 euros, foi lançada esta quarta-feira na Fundação José Saramago, em Lisboa.

O programa de lançamento da moeda "José Saramago. Terra e Céu", que se inscreve nas comemorações do centenário do escritor, contou com intervenções de Pilar del Rio, presidente da Fundação José Saramago e de Carlos Reis, comissário para o centenário de José Saramago.

Carlos Nogueira falou sobre a conceção da moeda e Dora Moita, do Conselho de Administração da Imprensa Nacional Casa da Moeda, sobre "colecionismo de moedas comemorativas".

No final, foi projetado um filme alusivo à conceção e produção da moeda.

Ainda no âmbito das celebrações do centenário do Nobel da Literatura português, será inaugurada na próxima segunda-feira uma exposição de Daniel Mordzinski, no Instituto Cervantes de Lisboa, que ficará patente até 13 de maio.

"Navegantes da jangada de pedra" é uma exposição, concebida e produzida especialmente para o centenário do nascimento de José Saramago, que reúne uma centena de fotografias de autores de mais de 20 países e inclui duas partes.

A primeira apresenta uma seleção de imagens do próprio Saramago, tiradas por Mordzinski ao longo dos 20 anos; na segunda, apresentam-se as suas conexões com escritores de língua portuguesa e espanhola cujas obras dialogam com o legado do autor.

Entre as várias iniciativas além fronteiras previstas nestas comemorações, conta-se a adesão do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, às comemorações por considerar que a obra do escritor tem "grande projeção no Brasil".

De acordo com um memorando assinado entre o Museu da Língua Portuguesa e a Fundação José Saramago, estão previstas atividades ou exposições gratuitas destinadas ao público mais novo, inspiradas nas obras de José Saramago, previstas para o Museu da Língua Portuguesa e passíveis de circulação, por exemplo, em "feiras literárias brasileiras".

O centenário do nascimento do escritor português José Saramago só acontecerá a 16 de novembro de 2022, mas as celebrações começaram no dia 16 de novembro de 2021.

Consolidar a presença do escritor na história cultural e literária, em Portugal e no estrangeiro, e prestar homenagem à sua figura, como cidadão, são objetivos das comemorações, cujas "linhas gerais" foram anunciadas em junho por Carlos Reis e por Pilar del Río.

Do programa comemorativo sabe-se ainda que contará com a edição de uma fotobiografia, cinco conferências comissariadas pelo escritor argentino Alberto Manguel, um Colóquio de Estudos Saramaguianos no Brasil, a edição de uma moeda comemorativa e um ciclo de cinema pela Cinemateca Portuguesa.

O regresso da ópera "Blimunda", de Azio Corghi e José Saramago, pelo Teatro Nacional de São Carlos, e a estreia do espetáculo de teatro de rua "A Passarola", pelo Trigo Limpo Teatro ACERT, também constam da programação. .

A 16 de novembro de 2022, uma centena de escolas do ensino secundário promoverão a leitura, em simultâneo, de páginas dos romances "Memorial do Convento" e "O Ano da Morte de Ricardo Reis", num movimento paralelo ao verificado este ano, no início das comemorações.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António dos Santos
    24 fev, 2022 Coimbra 00:34
    Qual a razão de se fazer uma medalha comemorativa do centenário de Saramago?!!! Um gajo que passou a vida a dizer mal de Portugal e a pedir a anexação de Portugal a Espanha. Os nossos governantes deixaram criar uma fundação a receber dinheiro do estado e ainda trouxeram a porcaria das cinzar para Portugal. Porque não ficaram a Lanzarote que ele amava mais que a Portugal?

Destaques V+