Tempo
|
A+ / A-

Djaimilia Pereira de Almeida vence prémio Oceanos

05 dez, 2019 - 23:13 • João Pedro Barros

Romance “Luanda, Lisboa, Paraíso” foi distinguido com o galardão instituído pelo Ministério da Cultura de Portugal e pelo instituto brasileiro Itaú Cultural. Em segundo lugar ficou “Eliete”, da também portuguesa Dulce Maria Cardoso.

A+ / A-

A escritora Djaimilia Pereira de Almeida recebeu esta quinta-feira o prémio Oceanos, dedicado à Literatura em Língua Portuguesa. graças ao romance “Luanda, Lisboa, Paraíso”, publicado em Portugal em 2018 pela Companhia das Letras e já em 2019, no Brasil. O galardão foi entregue em cerimónia realizada no Itaú Cultural, em São Paulo.

Trata-se da quinta escritora de nacionalidade portuguesa a vencer este galardão, juntando-se assim a uma galeria de reconhecidos autores portugueses: Gonçalo M Tavares, Valter Hugo Mãe, José Luís Peixoto e Ana Teresa Pereira.

Djaimilia Pereira de Almeida, de 37 anos, nasceu em Angola, mas veio para Portugal com três anos e vive nos subúrbios de Lisboa. É autora de outras obras como “Esse cabelo” (Teorema, 2015) e “Ajudar a cair” (FFMS, 2017). “Luanda, Lisboa, Paraíso” é o seu segundo romance e já conta com o Prémio Literário Fundação Eça de Queiroz e o Prémio Literário Fundação Inês de Castro, tendo sido também um dos finalistas do Prémio APE e do Prémio PEN Clube.

O livro premiado conta uma história da diáspora. No centro da narrativa estão Cartola de Sousa, parteiro num hospital em Luanda, e Aquiles, seu filho, nascido com um calcanhar defeituoso. Pai e filho viajam para Lisboa, nos anos 1980, para que o rapaz possa ser submetido aos tratamentos médicos que resolveriam o seu problema no pé.

Ministra da Cultura felicita autora

A Ministra da Cultura, Graça Fonseca, já felicitou “vivamente” a escritora, em nota divulgada à comunicação social, em que salienta ainda que o júri – formado pelos portugueses Daniel Jonas e Manuel Frias Martins, e pelas brasileiras Eliane Robert Moraes, Maria Esther Maciel e Verónica Stigger – decidiu atribuir o segundo lugar ao romance “Eliete”, da portuguesa Dulce Maria Cardoso, e o terceiro lugar ao romance “Sorte”, da brasileira Nara Vidal.

“O prémio Oceanos é um dos mais importantes da língua portuguesa e resulta de uma parceria entre o Ministério da Cultura de Portugal e o Instituto Itaú Cultural, Brasil. Esta iniciativa tem-se destacado como um relevante instrumento para a consolidação e promoção da língua portuguesa, numa parceria entre entidades públicas e privadas. (...) Parabéns a todos os escritores distinguidos nesta edição do Prémio Oceanos!”, pode ler-se.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+