A+ / A-

António Costa recebe morte de Nicolau Breyner com "enorme tristeza"

14 mar, 2016 - 18:16

Primeiro-ministro lamenta o desaparecimento de um “extraordinário actor, grande realizador e amigo”.

A+ / A-

O primeiro-ministro recebeu com “enorme tristeza” a notícia da morte de Nicolau Breyner, que recorda como um “extraordinário actor, grande realizador e amigo”.

Nicolau Breyner “deixa vazio imenso no teatro, no cinema e na novela”, declarou António Costa aos jornalistas.

O chefe do Governo considera o actor, que morreu esta segunda-feira, aos 75 anos, protagonizou “alguns dos mais notáveis papéis representados em Portugal”.

António Costa recorda os “grandes momentos de humor em que Nicolau Breyner era exímio”, que iam da crítica política à crítica de costumes.

“A morte de Nicolau Breyner representa uma grande perda para todos nós e para mim uma grande tristeza”, sublinha o primeiro-ministro.

O actor e realizador Nicolau Breyner morreu esta segunda-feira, aos 75 anos, na sua casa em Lisboa.

Nascido em Serpa, no distrito de Beja, a 30 de Julho de 1940, com uma carreira de mais de 60 anos, o actor deixou uma marca intensa na televisão portuguesa, sobretudo através de telenovelas muito populares como "Vila Faia" e "Cinzas", entre outras.

Com Herman José, protagonizou uma das duplas mais famosas da televisão portuguesa, "o Sr. Contente e o Sr. Feliz".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+