Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Semana Santa de Braga vai ter espaço museológico

07 fev, 2024 - 16:22 • Isabel Pacheco

O futuro centro interpretativo vai permitir “experienciar durante todo o ano a forma como vivemos e celebramos a Quaresma e a Páscoa”, explicou o cónego Avelino Amorim.

A+ / A-

As Solenidades da Quaresma, da Semana Santa e da Páscoa de Braga vão ter um espaço museológico.

A Torre Medieval na cidade é o local escolhido para acolher o futuro centro interpretativo que deverá abrir portas, o mais tardar, até 2026.

“Vamos ainda este ano tentar fazer a recolha do maior número possível de imagens e de outros materiais para trabalharmos. Se possível, em 2025, mas se não for, sabemos que em 2026 é de certeza”, garantiu, esta quarta-feira, o presidente da comissão organizadora das solenidades da Semana Santa de Braga, durante a apresentação do programa do evento religioso.

“É um objetivo que temos já há algum tempo”, apontou o responsável, explicando que o espaço vai funcionar em parceria com o Museu XII e que vai permitir aos visitantes “experienciar durante todo o ano a forma como vivemos e celebramos a Quaresma e a Pascoa”.

As celebrações na Sé, as procissões e as expressões de fé estão no centro da programação da Semana Santa de Braga que, pela primeira vez, vai contar com um momento de oração na noite de Domingo de Ramos dedicado aos mais jovens.

“Este ano temos de facto uma oração ao estilo Taizé onde estão convidados os jovens da arquidiocese e que é animado pelo Departamento Pastoral da Pastoral dos Jovens”, adiantou. A ideia é “transmitirmos aos mais novos o que nós próprios também recebemos, que é uma herança muito valiosa”. "É um dos aspetos que estamos a trabalhar que é a envolvência das gerações mais jovens”, concluiu.

As celebrações na Sé, as procissões e as expressões de fé estão no centro da programação das Solenidades da Quaresma, Semana Santa e da Páscoa que conta, em paralelo, com programa cultural, que arranca a 15 de março com um concerto na Catedral.

Semana Santa de Braga é “a pérola das pérolas” no turismo religioso

2023 foi ano de recordes de visitantes durante a Semana Santa de Braga. A expectativa é que 2024 continue a atrair mais turistas, em especial norte-americanos.

“Acreditamos que esta Semana Santa também vai bater os recordes do ano passado. Portanto, as expectativas são muito positivas”, admitiu, esta quarta-feira, o vice presidente do Turismo Porto e Norte de Portugal, Inácio Ribeiro, durante a presentação do programa do evento, em Braga.

“A nossa grande aposta é trazer turistas que permaneçam mais tempo e que tenham maior disponibilidade para a despesa”, revelou o responsável, dando o exemplo do mercado norte-americano, que “tem crescido muito”.

“São turistas que vêm de muito longe, com mais tempo para a estadia e com mais disponibilidade financeira o que é extraordinário, particularmente, para Braga”.

Para o Turismo Porto e Norte de Portugal são dados que confirmam a Semana Santa de Braga como o “maior evento religioso de referência do norte do país”.

“Na dimensão religiosa, Braga é, de facto, a pérola das pérolas”, diz Inácio Ribeiro.

Segundo as contas avançadas, esta quarta-feira, pela Associação Comercial de Braga (ACB), o impacto económico da Semana Santa de Braga em 2023 ultrapassou os 13 milhões de euros, “o valor mais elevado de sempre, superando o valor estimado no seu lançamento”, sublinho o presidente da ACB, Daniel Vilaça.

Para este ano, prevê-se um “crescimento mais moderado”, que poderá “rondar os 14 milhões de euros”, admitiu, por sua vez, o autarca, Ricardo Rio.

“Este ano sabemos que as circunstâncias sociais e económicas são difíceis, mas, em todo o caso, apontamos para os 14 milhões de euros de faturação inerente a este período anterior à Semana Santa”, avançou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+