A+ / A-

Vaticano

Papa lembra habitantes da Terra Santa que vão ter um “Natal de dor, de luto, sem peregrinos”

16 dez, 2023 - 17:01 • Ecclesia

No final do encontro, Francisco deixou uma mensagem para os presentes e um pedido: “Queridos irmãos e irmãs, desejo-vos que vivais este dia com fé e alegria; que ele seja um testemunho do Evangelho! Do meu coração abençoo-vos a todos e aos vossos entes queridos. E não vos esqueçais de rezar por mim”.

A+ / A-

O Papa Francisco recebeu este sábado, na sala Paulo VI, no Vaticano, cerca de 2.500 figurantes do Presépio Vivo da Basílica de Santa Maria Maior, uma das quatro maiores em Roma, apelando para que se lembrem dos habitantes da Terra Santa “que tanto sofrem”.

“Sabemos qual é a situação, por causa da guerra, consequência de um conflito que dura há décadas. Por isso, o vosso desempenho deve ser vivido em solidariedade com estes irmãos e irmãs que tanto sofrem. Para eles, este promete ser um Natal de dor, de luto, sem peregrinos, sem celebrações. Não queremos deixá-los sozinhos”, afirmou Francisco, durante a audiência, informa a Santa Sé.

No discurso que dirigiu aos participantes, o Papa partilhou com os figurantes, que se encontravam trajados com as roupas das personagens do presépio, que a “oração” e a “ajuda concreta” os mantém mais próximos dos habitantes da Terra Santa, bem como o Presépio Vivo, que “recorda a todos como o sofrimento em Belém é uma ferida aberta para o Médio Oriente e para o mundo inteiro”.

“Neste Natal, pensemos na Terra Santa”, desejou.

Outro dos pensamentos que o Papa partilhou relacionou-se com São Francisco de Assis, que deu origem ao presépio, há 800 anos, em Greccio, Itália: “É importante recordar o porquê dessa sua invenção, compreender o seu significado, para não o reduzir apenas a um fato folclórico”.

Segundo o Papa, “o presépio vivo tem por objetivo despertar no coração o espanto perante o mistério de Deus que se fez criança”.

“Francisco quis representar o nascimento de Jesus ao vivo para suscitar nos frades e no povo a emoção, a ternura diante do mistério de Deus nascido de Maria num estábulo e deitado numa manjedoura. Ele queria dar concretização à representação: não uma pintura, não estátuas, mas pessoas de carne e osso, para que a realidade da Encarnação sobressaísse”, manifestou o Papa, que agradeceu ao Cardeal S. Ryłko, arcipreste da Basílica, e ao arcebispo Makrickas pela “bela inciciativa”.

De acordo com o sítio Vatican News, Francisco lembrou ainda que é na Basília de Santa Maria Maior que se encontra a relíquia do berço de Jesus, “e por isso tem uma ligação muito particular com Belém e o presépio”, além de um “conjunto escultórico de Arnolfo di Cambio, desejado pelo Papa Nicolau IV, “considerado o primeiro presépio da história da arte”.

No final do encontro, o Papa deixou uma mensagem para os presentes e um pedido: “Queridos irmãos e irmãs, desejo-vos que vivais este dia com fé e alegria; que ele seja um testemunho do Evangelho! Do meu coração abençoo-vos a todos e aos vossos entes queridos. E não vos esqueçais de rezar por mim. Feliz Natal!”.

Este domingo, Francisco completa 87 anos de vida é o terceiro Papa mais velho a governar a Igreja nos últimos 700 anos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+