Tempo
|
A+ / A-

Angelus

A caminho do Natal, o Papa pede passos concretos de paz e pelos direitos humanos

10 dez, 2023 - 12:05 • Aura Miguel

No 75.º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, o Papa Francisco pede que se "protejam os civis, os hospitais, os lugares de culto", lembrando que, muitas vezes, se anda para trás em vez de "defender os direitos dos que não contam”

A+ / A-

“O compromisso com os direitos humanos nunca acaba”, sublinhou esta manhã o Papa, ao assinalar os 75 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Assinada a 10 de dezembro de 1948, o documento “é como uma estrada principal na qual foram dados muitos passos em frente, mas muitos ainda faltam e às vezes, infelizmente, voltamos atrás”, lamentou Francisco, que aproveitou a ocasião para apoiar “todos os que, discretamente na vida quotidiana concreta, lutam e falam pessoalmente para defender os direitos dos que não contam”.

No final do Angelus deste domingo, o Santo Padre voltou a pedir orações pelas populações que sofrem devido à guerra. "Vamos em direção ao Natal. Seremos capazes, com a ajuda de Deus, de dar passos concretos de paz? Não é fácil, bem sabemos. Certos conflitos têm raízes históricas e profundas, mas também temos o testemunho de homens e mulheres que trabalharam com sabedoria e paciência pela coexistência pacífica. Que se siga o seu exemplo”, afirmou.

O Papa pediu que se façam todos os esforços para enfrentar e eliminar as causas dos conflitos. E, a propósito dos direitos humanos, “que protejam os civis, os hospitais, os lugares de culto, que sejam libertados os reféns e garantida a ajuda humanitária”, sem esquecer “a martirizada Ucrânia, a Palestina e Israel”.

Sobre a situação no sul do Cáucaso, Francisco alegrou-se com a libertação de um número significativo de prisioneiros arménios e azeris. “Vejo com grande esperança este sinal positivo para as relações entre a Arménia e o Azerbaijão, pela paz no Cáucaso meridional e encorajo as partes e os seus líderes a concluir, quanto antes, o tratado de paz”, afirmou.

Por fim, a propósito da conclusão nos próximos dias dos trabalhos da COP 28, no Dubai, o Papa pediu orações “para que sejam alcançados bons resultados a favor do cuidado da nossa casa comum e da protecção das populações”.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+