Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Advento

D. Américo Aguiar pede orações pela paz e "mesa posta para todos"

04 dez, 2023 - 16:04 • Marta Pedreira Mixão

O cardeal salientou ainda várias preocupações com o futuro de muitos em situações mais frágeis: "dos jovens, dos desempregados, dos que estão sem casa, o sofrimento pelas guerras a que assistimos de longe".

A+ / A-

O cardeal D. Américo Aguiar alerta, na sua mensagem para o Advento, que este tempo “tão belo da História” da Fé dos cristãos, “contrasta drasticamente com um mundo em guerra" e pede orações pela paz.

"Precisamente na Terra de Jesus, mas também na Ucrânia, povos que visitei em julho passado, na Rússia, em África. E assim como somos convidados a ajoelhar perante a beleza do presépio, peço-vos que sejais capazes de vos ajoelhar perante o sofrimento de tantas crianças, de tantas mães e pais. Ajoelhar, pedindo a Deus que a todos conceda a Paz. Ajoelhar pedindo a Deus que nos torne mais simples, mais puros, mais atentos, mais generosos", apelou o cardeal.

Na mensagem para o Advento, o bispo de Setúbal refere ainda que se celebra o Advento numa altura em que "tudo parece concorrer para o esquecimento da dimensão sobrenatural do Natal" e que "tendemos a viver o Natal entre os nossos", mas acrescenta que "o que o Natal nos pede é outra coisa".

"Pede-nos que o anúncio deste nascimento chegue a todos. Que a alegria das luzes, da festa e da mesa posta seja para todos", escreve o mais jovem cardeal da Igreja Católica portuguesa.

Na sua primeira mensagem de Advento enquanto bispo de Setúbal, D. Américo Aguiar afirma ainda que está a "conhecer esta grande Diocese" e que o seu "coração vai-se moldando face às realidades" que vai encontrando. "Realidades que já ocupam um lugar único na vida deste vosso Pastor que entregou a sua vida toda, por todos, sem exceção", afirma o bispo de Setúbal.

D. Américo Aguiar apela ainda à solidariedade e relembra a mensagem do Papa Francisco e a sua insistência "na capacidade urgente de nos abrirmos a todos, de acolher nas nossas paróquias todos os que nos batem à porta, com mais ou menos barulho. Uns zangados, outros desiludidos, uns felizes, outros cheios de esperança. Uns com um caminho de Fé feito, outros completamente afastados, mas inquietos".

O cardeal salientou ainda várias preocupações com o futuro de muitos em situações mais frágeis: “Neste meu primeiro Natal na diocese de Setúbal, quero muito deixar-vos a Alegria e a Esperança de Belém. Também vos deixo as minhas inquietações, a preocupação com o futuro dos jovens, dos desempregados, dos que estão sem casa, o sofrimento pelas guerras a que assistimos de longe…”..

"Que a jovem Mãe do Menino Jesus seja a nossa guia neste tempo de Advento e que José seu esposo, seja o melhor exemplo de entrega e confiança em Deus", conclui na mensagem assinada em Roma, na Basílica de Santo António de Pádua, de que tomou posse no domingo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+