Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Cáritas de Braga preocupada com a crise habitacional

22 nov, 2023 - 10:56 • Olímpia Mairos

A instituição apoia, ao longo do ano, a população em situação de vulnerabilidade social.

A+ / A-

A Cáritas da Arquidiocese de Braga está preocupada com a crise habitacional que afeta várias famílias.

“Mesmo trabalhando, há pessoas que já não conseguem fazer face às despesas de habitação”, revelou a diretora técnica da instituição, Eva Ferreira, na apresentação campanha “10 Milhões de Estrelas - um gesto pela paz”, que, em Braga, será canalizada para a causa da habitação.

Segundo a responsável, a instituição tem apostado “em programas de empregabilidade acreditando que o trabalho seria o fator principal na autonomização de quem está em situações de vulnerabilidade, mas estas enfrentam problemas estruturais, como a habitação, para os quais não temos solução”.

Atualmente a Cáritas de Braga está a apoiar oito pessoas através dos seus apartamentos partilhados, tendo acolhido em 2023, 83 migrantes na sua Estrutura de Acolhimento Temporário.

“Disponibilizou, também, apoios na casa dos 30 mil euros, entre despesas fixas, como rendas, eletricidade, gás, água”, indica.

Para o presidente da Cáritas de Braga, João Nogueira, “os pobres são pessoas, têm rosto, uma história, coração e alma. São irmãos e irmãs com os seus valores e defeitos, como todos nós, e é importante estabelecer uma relação pessoal com cada um deles”.

A campanha “10 Milhões de Estrelas – um gesto pela Paz” reverte para duas causas, uma nacional, micro projetos de ecologia integral nos países lusófonos, e a causa local que, nesta edição, será totalmente direcionada ao apoio prestado nas despesas de habitação das pessoas/famílias acompanhadas pela Cáritas de Braga.

Ao longo do ano, a Cáritas apoia população em situação de vulnerabilidade social para além da habitação.

Segundo dados da instituição, no primeiro semestre de 2023 foram acolhidas 63 pessoas na Estrutura de Acolhimento Temporário para migrantes (EAT), 156 pessoas no Centro de Acolhimento de Emergência (CAE), integradas oito pessoas em apartamentos partilhados e 130 foram apoiadas pelo espaço igual.

A instituição realizou 1.981 atendimentos (1.333 social + 648 espaço igual), serviu 12.673 refeições, e entregou 223 cabazes.

“O apoio monetário foi contabilizado em 27.158,94 euros. Apoiamos 108 pessoas com programas de empregabilidade onde conseguimos empregar, através do Incorpora, 40 pessoas”, indica ainda a Cáritas arquidiocesana.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+