A+ / A-

Guerra no Médio Oriente

Papa já telefonou duas vezes ao pároco da Faixa de Gaza

10 out, 2023 - 15:08 • Aura Miguel

Paróquia de Gaza está a albergar 150 famílias que perderam as suas casas ou que procuram um lugar seguro para se protegerem dos bombardeamentos.

A+ / A-

O Padre Gabriel Romanelli já recebeu dois telefonemas do Papa Francisco desde que os bombardeamentos começaram na Faixa de Gaza, uma resposta de Israel à ofensiva lançada pelo Hamas na madrugada de sábado contra o Estado hebraico.

Preocupado com o que se passa naquela paróquia, Francisco acompanha constantemente a situação. Apesar dos bombardeamentos israelitas que se seguiram aos ataques terroristas do Hamas, até agora, aquela paróquia não regista mortos nem feridos, mas acolhe 150 famílias deslocadas.

Segundo revela o portal Vatican News, o Santo Padre faz questão de se manter atualizado sobre a situação das comunidades cristãs mais afetadas.

"O Papa ligou-me há poucos minutos, para manifestar a sua proximidade e orações e nós agradecemos o seu apelo a favor do cessar-fogo e contra todo o tipo de violência, terrorismo e guerra”, disse ao Vatican News o Padre Romanelli que, neste momento, se encontra na cidade palestiniana de Belém.

“O Santo Padre quis expressar a sua presença e disse que entraria diretamente em contato com a comunidade paroquial através do meu vigário, para poder falar com as pessoas que estão refugiadas na paróquia e enviou a sua bênção para que todos experimentem a proximidade da Igreja”, acrescentou.

Segundo revela o Padre Romanelli, a paróquia de Gaza está a albergar 150 famílias que perderam as suas casas ou que procuram um lugar seguro para se protegerem dos bombardeamentos que afetam todo o enclave palestiniano.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+