Tempo
|
A+ / A-

​“Via-Sacra virada para o futuro falou dos problemas deste mundo”

04 ago, 2023 - 23:17 • Susana Madureira Martins , com redação

Sobre a mensagem do Papa Francisco, Marcelo Rebelo de Sousa considera que “é inevitável que a Igreja tenha que mudar”.

A+ / A-

A Via-Sacra desta sexta-feira com o Papa Francisco, no Parque Eduardo VII, em Lisboa, foi virada para o futuro, mas também falou dos problemas da atualidade, destacou o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

O chefe de Estado marcou presença no encontro com Francisco, que juntou 800 mil peregrinos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

Em declarações à Renascença, Marcelo Rebelo de Sousa começou por dizer que “foi tudo espetacular”.

“Foi uma Via-Sacra da juventude, virada para o futuro e falando dos problemas deste mundo, deste momento.”

“A guerra, a violação dos direitos humanos, o racismo, o isolamento, o efeito da pandemia e as depressões sofridas nomeadamente pelos jovens, tudo aquilo que fez parte da vida de milhões e milhões de pessoas nos últimos anos esteve na Via-Sacra”, disse o Presidente da República.

Sobre a mensagem do Papa Francisco, Marcelo Rebelo de Sousa considera que “é inevitável que a Igreja tenha que mudar”.

“O essencial da mensagem do Papa é, no fundo, dizer que a juventude quer mudar e vai mudar. Assim como a sociedade muda, é inevitável que a Igreja tenha que mudar, não nos princípios, mas na aplicação dos princípios, como ele disse, não sendo apenas naqueles que a vivem, os ministros de uma burocracia, de uma visão, meramente formal, mas olhando para problemas reais das sociedades reais”, declarou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+