Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Jornada Mundial da Juventude

Os três presentes que Costa ofereceu ao Papa Francisco

02 ago, 2023 - 17:22 • Diogo Camilo

Primeiro-ministro entregou ao Santo Padre uma escultura de São Francisco de Assis, a obra completa de um padre jesuíta e um livro coordenado por José Sá Fernandes, o responsável do Governo na organização da JMJ.

A+ / A-

Veja também:


O encontro foi de pouco mais de 15 minutos, mas deu tempo para que o primeiro-ministro entregasse ao Papa Francisco três presentes, à semelhança do que já tinha feito durante a última visita do Santo Padre a Portugal.

Na Nunciatura Apostólica de Lisboa, António Costa ofereceu ao Papa Francisco uma escultura de São Francisco de Assis, da autoria do mestre José Franco, uma peça de olaria de Mafra, assim como a obra completa de Manuel Antunes, padre jesuíta e um dos maiores pedagogos do séc. XX.

O chefe de Governo entregou ainda ao Papa Francisco o livro "Santuários Marianos de Portugal", coordenado por José Sá Fernandes, ex-vereador da Câmara Municipal de Lisboa e o responsável do Grupo Missão do Governo na Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

Em 2017, o Papa Francisco reuniu-se com António Costa no seu segundo dia de visita a Fátima, na Casa de Nossa do Carmo. Na altura, o primeiro-ministro ofereceu um relicário em prata com imagem de Santo António.

Papa recebido por Marcelo na chegada a Lisboa
Papa recebido por Marcelo na chegada a Lisboa
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria Alice
    04 ago, 2023 Lisboa 15:05
    As jornadas foram um grito de esperança, alegria e comprometimento. As palavras do santo Padre, não hesitando nos temas, comparo-as a um despertador, acordando uma sociedade adormecida, em que o ter substitui o ser. Talvez alguns n ão gostem mas elas são necessárias e os jovens têm generosidade para as terem como lema. B em haja Papa Francisco por nos ter acordado. Assim o mundo o oiça.

Destaques V+