Tempo
|
A+ / A-

Jornada Mundial da Juventude

Como é uma festa de acolhimento de peregrinos?

27 jul, 2023 - 20:00 • Liliana Carona

No âmbito dos Dias na Diocese, o Comité Organizador Diocesano (COD-Guarda) para a JMJ Lisboa 2023 preparou, esta quarta-feira, no Parque da Cidade, um encontro que reuniu várias centenas de peregrinos, e onde não faltou música, dança e muita alegria. A organização fala em expectativas superadas.

A+ / A-
Como é uma festa de acolhimento de peregrinos? Reportagem de Liliana Carona

O dançarino que salta para o meio do palco, no Parque da Cidade da Guarda, acabou de chegar da Guiné. Peregrino de 28 anos, de nome Papazinho Nhon Djú chegou à Guarda com mais 57 companheiros de viagem. Licenciado em sociologia, sonha fazer o mestrado em Portugal e vai rezar para que esse sonho se concretize.

A alegria de pisar solo lusitano é traduzida em palavras: “Foi uma viagem longa, cansativa, mas correu bem graças a Deus, nunca tinha viajado de avião. Gostei bastante, o acolhimento pelos portugueses é bom. Cá estamos 58 só da diocese de Bissau.

"A expetativa de todos nós é o encontro com o Papa, porque é o representante máximo da Igreja Católica”, revela, mostrando os acessórios que enverga, duas marcas étnicas, de dois povos diferentes. “Cada vez mais a energia aumenta comigo, com a ajuda de Deus”, conclui.

Energia que abundou na festa de acolhimento da diocese da Guarda. Várias línguas no palco, mas o apelo é sempre o mesmo: cantar e dançar.

A tentar aprender a coreografia, Adriana Lulgjuraj, 20 anos e Jack Novak, 26, dos EUA, Michigan, vieram ter à diocese da Guarda.

“Estamos entusiasmados por partilhar a fé com milhares de pessoas, viajar e conhecer novas pessoas. É a minha primeira vez em Portugal. Eu adoro Portugal, a energia, tudo tão positivo. Estou entusiasmada por estar com o Papa e conhecer novas pessoas”, descreve Adriana, corroborada por Jack, o líder do grupo, composto por 12 peregrinos.

O rapaz de 26 anos diz que procura "boa energia, partilhar a fé com outras pessoas e conhecer outras pessoas de outros países. Não conheço muito de Portugal, mas quero ver o Santuário de Cristo Rei em Lisboa".

Expetativas superadas

Na festa de acolhimento, foram várias as atividades sugeridas.

“Podem deixar a vossa marca aqui no parque”, apelam elementos da organização, em vários idiomas, ao microfone. “E podem trocar a senha, por um lanche, há sandes e águas para todos os peregrinos e há também vendedores que se associaram com gelados”, informam quem chega, enquanto no palco já atua a banda da diocese da Guarda Amor Vitae, na presença de centenas de peregrinos.

Expectativas superadas para Rita Loureiro, 22 anos, responsável pela equipa de comunicação do Comité Organizador Diocesano.

“Ainda nos faltam chegar mais grupos, mas está mais gente do que estávamos à espera. Muito boa energia. Tudo a dançar e a cantar pelas ruas, os países a interagirem muito uns com os outros”, observa a estudante de arquitetura que não tem mãos a medir.

“As famílias e os peregrinos só vão saber hoje ao final da tarde onde vão ficar, até porque temos padres e bispos que vão ficar em famílias. Está a ser muito bom e uma confusão boa, porque também vou receber peregrinos em minha casa”, considera a voluntária.

Na receção aos cerca de 800 peregrinos houve ainda tempo para uma Caminhada até à Sé da Guarda e Eucaristia. Para assinalar a chegada dos jovens peregrinos à diocese da Guarda, o Comité Organizador Diocesano (COD-Guarda) para a JMJ Lisboa 2023, prepara ainda, no âmbito dos Dias na Diocese, um evento intitulado “Festa das Nações”, a decorrer no dia 30 de julho, domingo, a partir das 16h00, no alto da Torre da Serra da Estrela, contando com apresentações/atuações típicas dos países dos diferentes grupos de peregrinos e um concerto da Banda Jota, banda de inspiração cristã da diocese da Guarda, que atuou na JMJ de Madrid, em 2011.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+