A+ / A-

Crise

Presidente da Cáritas: "Há sempre situações novas, o que é assustador"

21 mai, 2023 - 08:26 • Henrique Cunha

Rita Valadas diz que "as pessoas não sentem que há melhorias no país" e antecipa: "Vamos ter um país fantástico no turismo e fantástico na macroeconomia."

A+ / A-

A presidente da Cáritas, Rita Valadas, classifica como "assustador" o aparecimento constante de novos pedidos de ajuda à instituição.

“Há sempre situações novas o que eu acho assustador", diz a responsável, em entrevista à Renascença, sublinhnado que muitas situações surgiram "no período da pandemia”.

A estes casos juntam-se "situações novas" de que são exemplo "crises com a situação dos migrantes”.

Rita Valadas defende que as respostas não podem ficar por acudir às emergências. "A emergência não desenvolve as pessoas e não promove a sua integração", argumenta.

Olhando para a situação económica do país, a presidente da Cáritas afirma que "as pessoas não sentem que há melhoras", pelo que "algures, alguma coisa não estamos a fazer bem".

“É muito difícil entender um discurso que faz de nós um país em situação macroeconómica muito saudável, a melhorar a cada mês, e olhar, depois, para as nossas realidades próximas e ver que não é assim.”

“É isso que me preocupa quando se fala de integração, porque nós não somos um país rico. Nós somos um país também, vulnerável”, acrescenta.

"Se não olharmos para as situações e para a sua resolução para além da emergência, não vamos conseguir ter um desenvolvimento que resolva o problema das pessoas”, diz, apontando as consequências: “Vamos ter um país fantástico no turismo e fantástico na macroeconomia."

Caritas Internacional: novo presidente é o arcebispo de Tóquio

Nestas declarações à Renascença, no rescaldo da 22.ª Assembleia Geral da Caritas Internacional que juntou em Roma 400 delegados de todo o mundo, Rita Valadas destacou o facto de a nova direção da instituição “ser a mais aberta das equipas”.

"As eleições proporcionaram um retrato bastante peculiar”, pois há "um presidente eleito entre cinco candidatos e que é um bispo que vem do Japão. Temos uma vice-presidente que foi eleito pelos representantes das regiões da Austrália e temos um secretário-geral, uma pessoa já da rede, com bastante conhecimento, que vem da Escócia”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+