Tempo
|
A+ / A-

Papa agradece "o olhar criativo e o coração terno" das mulheres

08 mar, 2023 - 10:44 • Aura Miguel

Na Audiência Geral, desta quarta-feira, dedicada à “paixão pela evangelização e zelo apostólico do crente”, Francisco alertou que “quem não evangeliza, não é bom cristão”.

A+ / A-

O Santo Padre saudou esta quarta-feira todas as mulheres.

No final da habitual audiência semanal, ao referir-se ao Dia Internacional da Mulher, Francisco agradeceu a todas “o empenho em construir uma sociedade mais humana, mediante a sua capacidade de acolher a realidade com olhar criativo e coração terno”. E concluiu: “Isto é um privilégio só das mulheres."

No final desta audiência, segundo a Fundação AIS (Ajuda à Igreja que Sofre), o Papa encontrou-se pessoalmente com duas mulheres nigerianas vítimas do Boko Haram. As duas cristãs, Maryamu Joseph, de 19 anos, e Janada Marcus, de 22, foram convidadas a dar testemunho da perseguição religiosa na Nigéria e muito particularmente sobre a violência contra as mulheres naquele país africano.

Também hoje, a Santa Sé divulgou o prefácio que o Papa escreveu para um livro dedicado à realidade da mulher e ao seu papel como motor da nossa casa comum. “O mundo será melhor se houver paridade na diversidade entre homens e mulheres”, avisa Francisco. A violência contra as mulheres “é um flagelo aberto resultante de uma cultura de opressão patriarcal e machista”, por isso, “devemos encontrar a cura”.

O Papa defende que “um mundo melhor, mais justo, inclusivo e plenamente sustentável não pode ser perseguido sem a contribuição das mulheres". E pede para se trabalhar, todos juntos, e, deste modo, “abrir oportunidades iguais para homens e mulheres, em todos os contextos, para buscar uma situação estável e duradoura de igualdade na diversidade porque o caminho da afirmação feminina é recente, conturbado e, infelizmente, não definitivo “.

Na Igreja não há lugar para sujeitos passivos

“Quem não evangeliza, não é bom cristão”, alertou o Papa durante a catequese desta quarta-feira dedicada à “paixão pela evangelização e zelo apostólico do crente”.

Francisco sublinhou que um critério importante para verificar a autenticidade do próprio zelo apostólico é a dimensão eclesial da ação evangelizadora. “No Povo de Deus peregrino e evangelizador não existem sujeitos ativos e passivos. «Cada batizado, qualquer que seja a sua função na Igreja e o grau de instrução da sua fé, é um sujeito ativo de evangelização»”, afirmou o Santo Padre citando a Exortação Apostólica Evangelii gaudium. Por isso, graças ao batismo, cada batizado participa na missão da Igreja e “isto convida-nos a não nos tornarmos escleróticos nem fossilizados”.

O Papa acrescentou que, “independentemente da própria função na Igreja e do grau de instrução da sua fé, cada batizado é um sujeito ativo de evangelização”. E só esta vivência do batismo, nos pode arrancar “de uma tranquilidade pessoal estática, para nos levar a viver de cada vez mais plenamente aquilo que recebemos e a partilhá-lo com os outros.”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+