A+ / A-

Papa quer pôr fim ao alojamento gratuito para cardeais e outros responsáveis do Vaticano

01 mar, 2023 - 18:23 • Aura Miguel

Desejo de Francisco é que as entidades da Santa Sé que detêm os imóveis passem a aplicar a todos os mesmos preços, independentemente dos títulos e cargos que ocupem.

A+ / A-

A imprensa italiana noticiou esta quarta-feira que o Papa poderá pôr fim a alguns privilégios relacionados com o património imobiliário do Vaticano. Ou seja, a medida poderá implicar uma alteração significativa na utilização, até agora praticamente gratuita, dos apartamentos e imóveis da Santa Sé por cardeais, chefes de dicastério e outros responsáveis da Santa Sé.

O Santo Padre terá apresentado esta medida numa audiência com o novo Prefeito da Secretaria para a Economia, Caballero Ledo, “para fazer frente aos crescentes compromissos que a Santa Sé está a enfrentar ao serviço da Igreja universal e dos mais necessitados”.

A atual situação “exige que se destinem maiores recursos e se aumentem as receitas da gestão do património imobiliário da Santa Sé”, nomeadamente, abolindo o alojamento gratuito concedido aos cardeais, chefes de dicastério e outros altos funcionários com responsabilidades no Vaticano.

O documento ainda não foi publicado, mas alguns jornais e media italianos, incluindo a RAI News, bem como a agência Reuters, divulgaram uma reprodução destas medidas assinadas pelo Papa.

O desejo de Francisco é que as entidades da Santa Sé proprietárias dos referidos imóveis passem a aplicar a todos os mesmos preços, independentemente dos títulos e cargos que ocupem no Vaticano.

Esta notícia surge na sequência do decreto que o Santo Padre assinou há dias, declarando o "caráter público e destino universal de todos os bens móveis e imóveis da Santa Sé".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+