A+ / A-

audiência geral

Papa valoriza inquietação interior e saúda peregrinos da Renascença

16 nov, 2022 - 11:04 • Aura Miguel

Francisco aconselhou a imitar os santos que conviveram com Jesus, sem pedir nada em troca.

A+ / A-

Na Audiência geral desta quarta-feira de manhã, dedicada ao tema do discernimento, o Papa reconheceu que, por vezes, a insatisfação e o sentimento de tristeza podem ser salutares, se não fugirmos de nós mesmos.

“Uma sadia capacidade de estar na solidão, de estar connosco mesmos sem fugir e até uma certa desolação, sacode a alma, mantém-na desperta, favorece a vigilância, convida-nos à gratuidade, a não agir sempre e só para viver consolados”, disse Francisco.

O Papa aconselhou a imitar os santos que conviveram com Jesus, sem pedir nada em troca.

“Faz-nos muito bem estar com Jesus, sem outro desejo que não Ele mesmo, exatamente como procedemos com as pessoas que amamos: queremos conhecê-las cada vez melhor, porque é bom estar com elas. Para muitos santos e santas, a inquietação foi um ímpeto decisivo para dar uma reviravolta à própria vida. É o caso, por exemplo, de Agostinho de Hipona, Edith Stein, José Benedito Cottolengo e Charles de Foucauld”.

E concluiu: “As escolhas importantes têm um preço que a vida apresenta, um preço acessível a todos”.

Nas saudações finais, o Papa, ao saudar os vários grupos de língua portuguesa, dirigiu-se também “aos representantes da Rádio Renascença de Portugal”.

Ao grupo de peregrinos da Renascença, acompanhados pelo Padre Vítor Gonçalves, assistente religioso da Emissora Católica Portuguesa, e aos outros grupos brasileiros presentes na audiência desta manhã, Francisco deixou um pedido e uma bênção:

“Nunca deixeis que eventuais nuvens sobre o vosso caminho vos impeçam de irradiar a glória e a esperança depositadas em vós, louvando sempre ao Senhor em vossos corações, dando graças por tudo a Deus Pai. Deus vos abençoe!”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+