Tempo
|
A+ / A-

COP27

Cimeira do Clima. “Não podemos sair daqui sem soluções tangíveis”, alerta Vaticano

08 nov, 2022 - 16:15 • Aura Miguel

É a primeira vez que a Santa Sé participa na conferência, não como observador, mas como Estado-parte da Convenção e do Acordo de Paris.

A+ / A-

“A crise socio-ecológica que vivemos é um momento propício para a conversão individual e coletiva e para tomar decisões concretas que não podem mais ser adiadas”, disse esta terça-feira o cardeal Pietro Parolin, na Conferência das Nações Unidas COP 27, em Sharm el-Sheikh, no Egipto.

O secretário de Estado do Vaticano manifestou preocupação pelo “fenómeno crescente dos migrantes deslocados por causa desta crise socio-ecológica”.

O cardeal Pietro Parolin avisa que “os Estados não podem sair daqui sem soluções tangíveis”, com vista a “aumentar a disponibilidade e flexibilidade dos caminhos para a migração regular.”

Preocupado com os efeitos globais da Covid-19 e o número crescente de conflitos no mundo, o "número dois" do Vaticano alertou para as suas graves consequências éticas, sociais e económicas que podem “minar a segurança global, exacerbar a insegurança alimentar, comprometer o multilateralismo e até ofuscar nossos esforços aqui em Sharm el-Sheikh”.

Esta é a primeira vez que a Santa Sé participa, não como observador, mas como Estado-parte da Convenção e do Acordo de Paris, na sequência do anúncio que o Papa fez, em 2020, ao garantir que o Vaticano se compromete com a meta de neutralidade carbónica, quer reduzindo as emissões zero até 2050, quer na promoção da educação à ecologia integral.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+