Tempo
|
A+ / A-

Um milhão de crianças reza o Terço para mudar o mundo

27 set, 2022 - 09:17 • Olímpia Mairos

Vão pedir a paz para as regiões em guerra ou que conhecem a violência do terrorismo. Em Portugal, o epicentro da iniciativa, marcada para o dia 18 de outubro, é no santuário de Fátima.

A+ / A-

A Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) convida as famílias, escolas, comunidades e paróquias a participarem, no dia 18 de outubro, na iniciativa anual de oração “Um Milhão de Crianças Rezam o Terço pela Paz”.

“Num tempo de incerteza, com a guerra a acontecer em plena Europa, mas com inúmeros conflitos e violência um pouco por todo o globo, a jornada de oração do terço pela Paz com as crianças ganha uma importância também acrescida”, assina a AIS em comunicado.

Neste contexto, as crianças de todo o mundo vão pedir a paz para as regiões em guerra ou que conhecem a violência do terrorismo.

“E são muitos os conflitos hoje em dia no mundo. Ucrânia, Nigéria, Myanmar, Camarões ou Moçambique, são exemplos de países onde mais se nota a ausência da paz. Todos eles vão estar no centro das orações das crianças”, sinaliza a fundação pontifícia, realçando que “todos somos chamados a participar nesta Jornada de Oração pela paz, que pretende também ser um desafio aos que insistem em fazer a guerra, ignorando as lágrimas e o choro de tantos inocentes”.

A iniciativa reúne todos os 23 secretariados internacionais da fundação pontifícia e o próprio Papa Francisco tem ajudado na mobilização das crianças.

De acordo com a fundação pontifícia, a iniciativa - inspirada nas palavras do Santo Padre Pio, de que “o mundo mudará” quando “um milhão de crianças rezar o Rosário” - tem adquirido uma expressão cada vez mais significativa de ano para ano e o Santuário de Fátima, em Portugal, “tem vindo a ganhar um relevo muito especial, ou não se tratasse do Altar do Mundo”.

“É especialmente comovente saber que há crianças no Iraque, Síria, Bielorrússia ou Myanmar a rezar juntamente com aquelas que se reúnem em Fátima, em Portugal, no Canadá ou nos Estados Unidos. Dá-nos esperança de que o amor que vem da fé possa triunfar sobre a violência”, refere o assistente eclesiástico internacional da AIS, padre Martin Barta.

A ideia para esta iniciativa surgiu após um grupo de crianças ter rezado pela paz, em 2005, na Venezuela. "Deste pequeno círculo de crianças com o terço nas mãos, surgiu esta iniciativa, que hoje se estende pelo mundo inteiro", acrescenta a AIS.

“Todos estão convocados para esta jornada de fé. O objetivo é simples: ter um milhão de crianças a rezar o Terço, porque isso pode mudar o mundo”, conclui.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+