Tempo
|
A+ / A-

Papa no Cazaquistão. Francisco encontrou-se com representante da Igreja Ortodoxa Russa

14 set, 2022 - 10:29 • Aura Miguel, enviada especial ao Cazaquistão , Olímpia Mairos

Bispo metropolita espera que reunião entre o Papa Francisco e o Patriarca de Moscovo ainda possa acontecer.

A+ / A-

O Papa Francisco encontrou-se esta quarta-feira, no Cazaquistão, com o metropolita Anton de Volokolamsk, presidente do Departamento para as Relações Eclesiásticas Externas do Patriarcado de Moscovo.

A conversa durou 15 minutos, tendo sido abordada a questão do anunciado e depois cancelado encontro entre o Papa e o Patriarca Kirill.

No final da reunião, o metropolita Anton de Volokolamsk disse esperar que o encontro possa vir a concretizar-se, embora admita que as recentes declarações de Francisco não ajudaram.

“Teremos de ver quando, onde e, sobretudo, ter uma declaração, um apelo bem preparado para o fim do encontro, tal como aconteceu em Havana, no primeiro encontro que tiveram”, observa, acrescentando que “o segundo encontro estava a ser preparado para Jerusalém, depois foi adiado”.

“Esperamos que um dia haja a possibilidade de vir a ser realizado”, diz.

O presidente do Departamento para as Relações Eclesiásticas Externas do Patriarcado de Moscovo considera que “o encontro entre o Papa e o Patriarca é uma coisa muito importante, por isso, terá de ser bem preparado”.

“Nós estávamos prontos para este encontro, mas foi cancelado pela Santa Sé. No entanto, no nosso encontro de agosto, quando fui a Roma e agora, o Papa confirmou ser necessário haver outro encontro. Teremos de ver quando e como, mas não discutimos os detalhes”, destaca.

“O Papa deu uma entrevista, que bem conheceis (…). Devo dizer que aquela entrevista foi muito inesperada e, é claro, que não foi útil para a unidade dos cristãos. Foi uma surpresa, mas devemos continuar em frente”, conclui.

Na abertura do congresso dos líderes das religiões mundiais e tradicionais - que reúne 100 delegações de 60 países, no Cazaquistão - Francisco lembrou o atual contexto de guerra para sublinhar a responsabilidade de quem tem fé na busca da paz.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    14 set, 2022 Funchal 12:44
    A humildade e a união, trazem paz. Imitar Jesus é o que faz falta ao nosso Clero e Francisco é exemplo a seguir.

Destaques V+