Tempo
|
A+ / A-

Abusos sexuais na Igreja

Clero do Patriarcado manifesta apoio a D. Manuel Clemente

09 ago, 2022 - 23:23 • Ecclesia

Secretariado Permanente do Conselho Presbiteral do Patriarcado de Lisboa lamenta a polémica perante as notícias que questionam a gestão de D. Manuel Clemente em relação à alegada ocultação de casos de abusos sexuais.

A+ / A-

O Secretariado Permanente do Conselho Presbiteral do Patriarcado de Lisboa manifesta apoio a D. Manuel Clemente, perante as notícias que questionam a sua gestão de casos de abusos sexuais.

“Em vez de possibilitar uma maior tomada de consciência acerca do problema dos abusos sexuais na Igreja e de conduzir a um debate sério sobre o clericalismo (como o Papa Francisco já indicava na carta enviada ao Povo de Deus sobre os abusos sexuais, abusos de poder e abusos de consciência, em 20 de agosto de 2018), a dinâmica mediática transformou tudo em mais um ‘caso’”, lamentam os responsáveis, numa nota enviada à Agência ECCLESIA.

Os cinco membros do Secretariado Permanente deste órgão consultivo do cardeal-patriarca assinalam que se vivem “tempos exigentes” para a Igreja, com a divulgação, “semana após semana” de notícias sobre abusos sexuais.

“Alguns são casos já investigados, outros até já julgados; uns condenados, outros arquivados”, acrescentam.

"Encontramo-nos num caminho de conversão para que crimes destes nunca mais sejam encobertos, e que, de futuro, preventivamente, tudo se faça para que eles não se repitam”.

A nota deixa uma palavra de solidariedade a D. Manuel Clemente, perante acusações de encobrimento de casos de abusos, que tem rejeitado.

“Queremos contar com o nosso patriarca, cardeal Manuel Clemente, como contamos até aqui. Para que, em comunhão com ele, nos anime a irmos mais além no serviço ao Povo que nos é confiado e na procura da verdade e da justiça que o anúncio do Evangelho comporta”, pode ler-se.

“Confiamos a Deus o nosso Patriarca Manuel, para que Ele o abençoe e fortaleça, em todas as circunstâncias da sua vida. O cuidado materno de Nossa Senhora não lhe há de faltar”, conclui a mensagem, assinada pelos padres Alberto Gomes, José Manuel Pereira de Almeida, José Miguel Pereira, Nuno Amador e Ricardo Figueiredo.

A 5 de agosto, o Papa recebeu em audiência privada, no Vaticano, o cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente.

O Patriarcado informou então, em comunicado enviado à Agência ECCLESIA, que o encontro aconteceu a pedido de D. Manuel Clemente, tendo decorrido “num clima de comunhão fraterna e num diálogo transparente sobre os acontecimentos das últimas semanas que marcaram a vida da Igreja em Portugal”.

A 29 de julho, o cardeal-patriarca de Lisboa publicou uma carta aberta para explicar procedimento relativo a um caso de abusos sexuais, denunciado em 1999, reforçando o compromisso de “tolerância zero” para estas situações.

“Aceito que este caso e outros do conhecimento público e que foram tratados no passado, não correspondem aos padrões e recomendações que hoje todos queremos ver implementados”, assinalou D. Manuel Clemente.

O Patriarcado de Lisboa respondeu hoje a acusações feitas noutro caso, após uma reportagem televisiva, negado que o cardeal tivesse tido conhecimento de alegados abusos cometidos pelo então padre Inácio Belo, em 2003.

“Foi na investigação prévia, realizada entre 2013 e 2014, que o atual patriarca de Lisboa teve conhecimento da denúncia dum caso de abuso atribuído ao referido sacerdote”, indica uma nota divulgada pela RTP.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+