Tempo
|
A+ / A-

Leigo suspeito de abusos em Samora Correia. Padre foi afastado

12 jul, 2022 - 13:00 • Cristina Nascimento

Arquidiocese tomou conhecimento das suspeitas no fim de junho de 2022 e as autoridades judiciais estão a investigar o caso. Pároco foi afastado preventivamente, depois de não ter conseguido evitar a reincidência do abuso.

A+ / A-

A Arquidiocese de Évora afastou preventivamente o pároco de Nossa Senhora da Oliveira, em Samora Correia. Em causa estão as suspeitas de abusos sexuais sobre dois menores por parte de um colaborador leigo.

De acordo com o comunicado da Arquidiocese, os alegados abusos terão ocorrido um em 2020 e outro em 2021. "O pároco, que foi em ambos os casos imediatamente alertado por familiares de uma das vítimas, limitou as tarefas do suspeito mas sem êxito tornando, infelizmente, possível a reincidência".

A Arquidiocese de Évora tomou conhecimento das suspeitas no fim de junho de 2022, tendo decidido pelo "afastamento preventivo do pároco de todas as tarefas pastorais, até à conclusão dos procedimentos canónicos".

A nota acrescenta que "os factos estão já a ser objeto de apreciação judicial" e assegura que a "Arquidiocese colaborará com as autoridades civis em tudo o que for conveniente e respeitará as decisões da Justiça".

"A Arquidiocese deplora esses factos gravíssimos e expressa aos menores, às famílias e às comunidades a sua dor profunda. A Comissão Diocesana para Proteção de Menores foi de imediato notificada para se encontrar com os Pais, os escutar, e oferecer-se para ajudar em tudo o que seja necessário", lê-se ainda na nota da Arquidiocese.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+