Tempo
|
A+ / A-

​Papa Francisco no Spotify: “Sinto falta de passear nas ruas”

05 jul, 2022 - 19:27 • Aura Miguel

À pergunta “ainda continuas a levantar-te cedo para rezar?”, Francisco responde que sim, porque “se não rezas logo de manhã, já não rezas e o dia fica estragado”.

A+ / A-

O Papa argentino recebeu recentemente a visita de Guillermo Marcó, seu antigo porta-voz nos tempos em que Mario Bergoglio era arcebispo de Buenos Aires.

A conversa entre os dois amigos, divulgada no Spotify, revela o sentido de humor do Papa e alguns detalhes do seu quotidiano.

À pergunta “ainda continuas a levantar-te cedo para rezar?”, Francisco responde que sim, porque “se não rezas logo de manhã, já não rezas e o dia fica estragado”.

Bergoglio confidencia que tem saudades de passear livremente pelas ruas de Roma, tal como costumava fazer nas ruas da capital argentina.

“Em Buenos Aires gostava de caminhar e de tomar o autocarro, mas aqui, nas duas vezes em que saí, fui apanhado em flagrante.”

O Papa recorda que o fez durante o inverno, às sete da tarde, quando já era escuro: “Quando fui ao oculista, uma senhora que estava na varanda gritou ‘É o Papa!’ e acabou tudo ali”.

Francisco recorda ainda a segunda “escapadela” quando foi a uma loja de discos de uns amigos, após as obras de renovação, porque eles tinham insistido: “vem, porque nos ajudaste muito”.

E o Papa foi. “O meu azar foi que ali próximo havia uma praça de táxis onde estava um jornalista à espera de um amigo”.

Claro que, poucos minutos depois, já circulavam pelo mundo inteiro as imagens do Papa a entrar na referida loja.

Nesta conversa, Francisco nega alguma vez ter saído da Casa Santa Marta disfarçado e refere que “o mito da fuga do Vaticano” deve ser atribuído a São João Paulo II que amava o esqui e conseguia praticá-lo nas montanhas, “disfarçado com um barrete que lhe cobria o rosto e assim ninguém o reconhecia”.

O Papa explica ainda que optou por viver na Casa Santa Marta, em vez do Palácio apostólico, para ele “demasiado espaçoso”, e sobretudo “por razões psiquiátricas”, ou seja, por não gostar de viver sozinho.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+