A+ / A-

Papa pede discípulos capazes de "transmitir a chama da esperança"

23 abr, 2022 - 13:55 • Ecclesia

Francisco recordou a “tragédia da guerra no território da Ucrânia tão próxima” e a “necessidade urgente de uma civilização do amor”.

A+ / A-

O Papa Francisco recebeu este sábado em audiência um grupo de 120 pessoas, participantes do Simpósio promovido pela Associação “Fiat” e pediu discípulos “capazes de transmitir a chama da esperança”.

Precisamos de discípulos convencidos da sua profissão de fé e capazes de transmitir a chama da esperança aos homens e mulheres deste tempo.”

O Papa enalteceu a obra do cardeal Suenens e de Veronica O’Brien, um trabalho que continua hoje no seu apostolado e apontou todos são desafiados a ser protagonistas de uma Igreja em saída, “uma evangelização com o espírito é uma evangelização com o Espírito Santo, já que Ele é a alma da Igreja evangelizadora”.

“Devemos cultivar continuamente o espírito missionário para nos aproximar daqueles que sofrem, abrindo nossos corações para eles. Devemos caminhar com eles, lutar com eles por sua dignidade humana e espalhar o perfume do amor de Deus por toda parte. Nossa casa comum é abalada por múltiplas crises. Não devemos ter medo das crises; as crises nos purificam, elas nos fazem sair melhor. Sem medo!”, indicou aos participantes do simpósio com o tema “Nas pegadas do cardeal Suenens-O Espírito Santo, Maria e a Igreja”.

Francisco recordou a “tragédia da guerra no território da Ucrânia tão próxima” e a “necessidade urgente de uma civilização do amor”.

“No olhar de nossos irmãos e irmãs vítimas dos horrores da guerra, lemos a necessidade profunda e premente de uma vida marcada pela dignidade, paz e amor.”

Perante a assembleia dos participantes, o Papa transmitiu confiança e exortou-os a dar,” por suas palavras, ações e testemunhos, uma mensagem forte ao nosso mundo, tão pobre em humanidade”.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+