Tempo
|
A+ / A-

Lisboa. D. Manuel Clemente apela ao serviço dos mais frágeis

17 abr, 2022 - 13:26 • Ecclesia

Celebrações da Páscoa evocaram vítimas da guerra

A+ / A-

O cardeal patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, apelou, este domingo, ao serviço dos mais frágeis, numa celebração em que evocou as vítimas das guerras no mundo.

“A vida ganha-se quando se oferece, viver em Cristo é viver com os outros e para os outros”, disse, na homilia da Missa da Páscoa, a que presidiu na Catedral lisboeta.

“Cristo está no meio de nós e, por nós, no meio de todos”, acrescentou D. Manuel Clemente.

D. Manuel destacou que a Páscoa de Jesus é “um acontecimento absoluto, que reconfigura tudo o mais” e uma presença que preenche “todo o espaço e todo o tempo”.

“Há inegavelmente um antes e um depois de Cristo, tanto na história do mundo como na história pessoal de cada um”, indicou.

Numa celebração com a participação do presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, D. Manuel Clemente concluiu com a bênção por “todas as situações em que é mais necessário sentir a presença de Deus”, da Ucrânia ao norte de Moçambique ou o Iémen.

“O Deus da vida não desiste de ninguém”, declarou.

Já na última noite, durante a Vigília Pascal, o patriarca de Lisboa evocou todos os que, no mundo, “a custo sobrevivem”, afetados por “tanta morte, destruição e escombro acumulado, por guerras e outros males que não faltam”.

O cardeal lembrou “os que a vivem entre a aflição da guerra, da Ucrânia a outros lugares em que a humanidade apesar de tudo sobrevive”.

“Sobrevivência que a vitória de Cristo sobre a morte assinala e garante. Com eles estamos em oração, somando o nosso querer ao do próprio Deus da paz. Com eles permaneceremos, até que a guerra acabe e ainda depois”, disse.

D. Manuel Clemente questionou ainda o que denominou como “cristianismos pretextuais e meramente decorativos”, considerando que estes “contrariam a causa do Evangelho”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+