Tempo
|
A+ / A-

Ambulância doada pelo Papa já foi entregue em Lviv

29 mar, 2022 - 15:12 • Ângela Roque

O cardeal Konrad Krajewski está de novo na Ucrânia. Esta terça-feira entregou às autoridades de Lviv o veículo de emergência que vai servir o Centro Regional de Saúde Materna e Infantil.

A+ / A-

É uma ajuda concreta a que o Esmoler Pontíficio, e enviado especial do Papa, levou até à Ucrânia. A ambulância, totalmente equipada, foi abençoada por Francisco antes do cardeal seguir de novo viagem até Lviv. Esta terça-feira o veículo foi entregue às autoridades da cidade, onde a população aumentou consideravelmente no último mês, devido à chegada de refugiados de todo o país. De acordo com o Vatican News, o responsável da administração militar, o padre Maxim Kozic, levará agora a ambulância até ao Centro Regional de Saúde Materna e Infantil.

É a segunda vez em poucos dias que o responsável pelas obras de caridade e sociais do Papa se desloca à Ucrânia. Na última sexta-feira esteve em Portugal, no Santuário de Fátima, onde presidiu ao ato de Consagração da humanidade, em particular da Rússia e da Ucrânia, ao Imaculado Coração de Maria.
O cardeal Konrad Krajewski chegou a Roma na manhã de sábado, 26 de março, e partiu de seguida para Lviv, com a ambulância “doada e abençoada pelo Papa Francisco”, como informou na altura o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni.

Antes de partir o cardeal falou aos jornalistas do momento especial que viveu em Fátima. “Pedi proteção para a Ucrânia, mas também para a missão que me preparo para cumprir, a pedido do Papa, voltando ao país”. E garantiu que seguia com o “coração cheio de esperança”, depois de ter rezado na Cova da Iria com mais de 15 mil fiéis que ali se reuniram, unidos à celebração a que em simultâneo o Papa presidiu no Vaticano.

"Todas as pessoas rezaram comigo a oração do Papa", sublinhou o cardeal Konrad Krajewski, para quem de Fátima surgiu "um grito de paz, para pedir o milagre do fim da guerra na Ucrânia".
"Com a fé se detém a guerra, e com toda a minha fé vou à Ucrânia para ver as consequências concretas do ato de Entrega a Maria", afirmou ainda.

O Vatican News sublinha que a celebração de sexta-feira contou com a presença de cerca de 25 bispos e também do presidente português “que, como um fiel, se misturou com o povo para seguir o ato de Consagração a Maria”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+