A+ / A-

Provedor espanhol lidera investigação a abusos sexuais na igreja

06 fev, 2022 - 17:32

O primeiro-ministro da Espanha nomeou o provedor de justiça para a primeira investigação oficial sobre a profundidade dos abusos sexuais cometidos pelo clero católico romano.

A+ / A-

O primeiro-ministro da Espanha nomeou o provedor de justiça para a primeira investigação oficial sobre a profundidade dos abusos sexuais cometidos pelo clero católico romano.

A decisão do primeiro-ministro, Pedro Sanchez, líder do Partido Socialista espanhol, foi hoje noticiada pelo jornal espanhol El País e confirmada pelo governo à Associated Press. .

A indicação de Ángel Gabilondo para liderar a investigação surge dias depois deos deputados espanhóis darem o primeiro passo para abrir um inquérito parlamentar sobre a questão dos abusos sexuais na igreja.

O órgão representante dos bispos em Espanha rejeitou a abertura de uma investigação abrangente. Em vez disso, incentivou as vítimas a fazer as suas denúncias nos gabinetes que criou em cada uma das dioceses do país. Os críticos argumentam que não é suficiente para dar uma explicação completa do abuso.

Segundo o El País, o sinal para a comissão parlamentar avançar depende de uma votação ainda este mês. Se o plano obtiver apoio parlamentar, Gabilondo seria encarregue de compilar um relatório com base nas conclusões de um comité de investigação independente.

Gabilondo, de 72 anos, foi nomeado provedor em novembro. Professor de Filosofia, foi ministro da Educação de Espanha entre 2009 e 2011 no governo liderado pelo Partido Socialista. É uma figura altamente respeitada no espetro político espanhol. .

"As vítimas não podem ser silenciadas", escreveu Sanchez no último domingo no Twitter. "Chegou o momento de curar as nossas feridas e evitar que volte a acontecer. Comprometido em não deixar impunes os abusos cometidos na Igreja". .

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+